Política

CPI do Metrô não engrena por falta de quórum

[CPI do Metrô não engrena por falta de quórum]
08 de Setembro de 2010 às 16:15 Por: Luiz Fernando Lima
A Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) que investiga as irregularidades na construção do Metrô de Salvador está longe de ser encerrada. Em outubro expira o primeiro prazo para o término das investigações, contudo, os membros da comissão já aprovaram um aditivo para que a conclusão seja feita até o final do mandato vigente, em dezembro de 2010. De acordo com deputado Álvaro Gomes (PCdoB), presidente da CPI, os documentos solicitados estão sendo analisado pela equipe técnica que dá suporte à Comissão.

“Ouvimos os procuradores do Ministério Público, e estamos convocando outras pessoas envolvidas com a construção. O ex-presidente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Luiz Otávio foi intimado, confirmou presença e faltou a duas sessões. Agora, vamos fazer uma convocação coercitiva para garantir a presença dele”, revela Gomes.

O presidente da CPI afirmou que ainda serão convocadas pessoas para responder pela s empresas do consórcio. “Vamos definir quem vai falar pela Impregilo e pela Camargo Corrêa, depois vamos definir os outros”, antecipa.

Questionado sobre as constantes quedas de sessões por falta de quórum, o presidente foi taxativo ao afirmar que não faltou a nenhuma sessão e que liga para todos os membros da CPI para tentar convencê-los a participar. Os representantes da bancada de oposição acusam os deputados governistas de boicote.

Para Gomes mais importante que a troca de farpas entre os parlamentares é que a Comissão consiga contribuir para que o Metrô comece a funcionar, além de apurar as irregularidades. “Se depender de mim vai ter alguma conclusão, pode não  ser a mais completa, mas vai sair sim”, concluiu.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar