Política

Ameaça?

[Ameaça?]
25 de Outubro de 2010 às 17:20 Por: Daniel Pinto
A votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) mexeu realmente com os ânimos na Câmara Municipal de Salvador. A base governista montou um verdadeiro plano de guerra para aprovar a matéria nesta quarta-feira (27). Vai precisar, no entanto, de força total, caso contrário ficará refém da dita bancada independente. Atualmente, o bloco é composto por seis vereadores: Luizinho Sobral, Alan Castro e Pastor Luciano, todos do PMN, além de David Rios (PTB), Antonio Libanio, Alemão (PRP), e Pastor Luciano.

A reportagem do Bocão News tentou falar com cada um deles para apurar a denúncia de que os “independentes” chantageiam a prefeitura para aprovar a LDO, que por sua vez ameaça demitir os indicados dos vereadores na administração municipal. “Não existe isso. Pelo menos, comigo. Ninguém me ameaçou até agora. Se ameaçar eu falo. Estamos negociando, mas não tem nenhum acordo fechado. Só acho que tem que votar a situação dos operários antes de qualquer coisa”, observou Alemão referindo-se à mudança de regime dos agentes de saúde.

Já David Rios e Carlos Muniz fizeram questão de destacar que não tem nenhum “apadrinhado” na folha de pagamento da administração municipal. “Nunca indiquei ninguém. Estou tranquilo quanto a isso. Entretanto, o prefeito João Henrique tem que respeitar o acordo com o pessoal da saúde.”, disse Muniz. “Não tenho indicações nos quadros do município. Por isso, voto com minha consciência. O Thomé de Souza devia estar mais preocupado com o movimento dos agentes de combate a endemias. Sou médico e sei o que eles sentem na pele”, afirmou David Rios.

O Pastor Luciano culpa a base governista pelo entrave na Câmara. “Estamos todos aqui no plenário, mas os aliados do prefeito simplesmente não vieram à sessão. É assim que eles querem votar a LDO?”, questionou.

Luizinho Sobral e Carlos Muniz não atenderam os celulares e nem foram encontrados nos gabinetes.

Mangueira descarta ameaça - “Não é assim que fazemos política. Não é com essa maneira que o prefeito João Henrique resolve seus problemas. A LDO precisa ser votada pelo bem da cidade. Temos que acertar a Lei de Diretrizes para poder montar o orçamento de 2011. Estamos preocupados com os recursos para o próximo ano. Temos que olhar pela cidade ao invés de fazer politicagem de baixo nível”. Palavras do vereador Alfredo Mangueira (PMDB) desmentindo que a prefeitura tenha ameaçado demitir os indicados da bancada autônoma.  

O líder do governo na Casa, Pedro Godinho (PMDB), reforçou as palavras do correligionário: “desconheço por completo qualquer iniciativa nesse sentido. Não passa de boatos de má fé. Faremos tudo da forma mais clara e transparente possível”.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar