Política

Romeu Tuma morre aos 79 anos

[Romeu Tuma morre aos 79 anos ]
26 de Outubro de 2010 às 14:24 Por: Agência Brasil e Redação Bocão News
Morreu hoje (26), às 13h, no Hospital Sírio-Libanês, onde estava internado desde o dia 1º de setembro, o corregedor-geral do Senado, Romeu Tuma (PTB-SP). O senador deu entrada no hospital com quadro infeccioso de afonia e, no último dia 2, foi submetido a uma cirurgia para colocação de um dispositivo de assistência ventricular chamado Berlin Heart.

O Hospital Sírio-Libanês não confirmou a causa da morte de Tuma, que tinha 79 anos.

Segundo assessores de Tuma, o corpo do parlamentar será velado na Assembleia Legislativa do São Paulo. Político e policial de carreira, Romeu Tuma foi senador pelo PFL, hoje Democratas, no primeiro mandato, em 1995, quando obteve 5,5 milhões de votos. Em 2002, com 7,2 milhões de votos, Tuma reelegeu-se pelo PTB para mais oito anos na Casa.

Neste ano, Tuma concorria ao terceiro mandato, mas, por causa do agravamento dos problemas de saúde, teve que interromper a campanha. No Senado, além da Corregedoria-Geral, Tuma ocupou cargos estratégicos, como o de 1º secretário da Mesa Diretora, em 2003.
Como policial, Romeu Tuma foi diretor de Polícia Especializada de São Paulo no período da ditadura militar, entre 1977 e 1993. No goveno de Fernando Collor (1991-1992), ele chegou ao topo da carreira, tendo sido nomeado para exercer simultaneamente os cargos de diretor-geral da Polícia Federal e secretário da Receita Federal.

Bahia
O presidente estadual do PTB, Jonival Lucas, lamentou a morte do senador. “O Romeu como político sempre foi muito respeitado por sua história e trabalhado consolidado. O mesmo aconteceu como policial que sempre teve a defesa da população como principal característica. Dentro do partido era um dos mais influentes ao lado do presidente nacional Roberto Jeferson”, afirmou Lucas.

Nota Oficial do Partido

O Presidente Nacional do PTB, Roberto Jeferson, em nome de toda a Executiva Nacional, do Diretório Nacional e de todos os filiados do partido, lamentou profundamente o falecimento, nesta terça-feira (26/10), do senador Romeu Tuma, de São Paulo. Romeu Tuma faleceu às 13hs, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, decorrente de uma hemorragia. Para Roberto Jefferson, o senador petebista, uma referência positiva da política brasileira, fará enorme falta neste País carente de homens públicos de valor.
“Recebi com tristeza a notícia do falecimento do senador Romeu Tuma, um político honrado, que sempre pautou suas ações pela defesa intransigente da democracia e pela ética. Além disso, foi um servidor público de conduta firme, que dedicou sua vida em prol do bem comum, um homem íntegro e que sempre procurou se guiar pelo que julgava ser o interesse da população, assim como nunca deixou de ser uma referência positiva para a política do País. É uma grande perda para o Brasil, para São Paulo, para o Senado brasileiro e para o PTB. Tuma fará enorme falta neste Brasil carente de figuras públicas de valor. O legado de Romeu Tuma é o da honradez e o da decência”, afirmou o Presidente Nacional do PTB.
Casado com a professora Zilda Dirane Tuma, o senador teve quatro filhos e nove netos. Dos filhos, Robson teve quatro mandatos de deputado federal, Romeu Tuma Júnior foi secretário nacional de Justiça, Rogério é médico neurologista e oncologista e cuidou do pai durante a internação no Sírio-Libanês, e Ronaldo é cirurgião dentista com especialização em identificação criminal. O corpo do senador Romeu Tuma será velado na Assembléia Legislativa de São Paulo.
O líder do PTB no Senado, Gim Argello(DF), também lamentou a morte do senador Romeu Tuma:
"Foi um modelo de brasileiro, um brasileiro que dignificou muito sua passagem por esta Casa, pelo Senado, pelas comissões, por tudo o que representou para o estado de São Paulo e para o povo."
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar