Política

Metas diferentes

[Metas diferentes]
26 de Outubro de 2010 às 22:35 Por: Daniel Pinto


         Fotos: Edson Ruiz/Bocão News

O discurso entusiasmado de Aécio Neves, senador eleito pelo PSDB de Minas Gerias, contrastou com as perspectivas de algumas personalidades da oposição baiana em evento promovido nesta terça-feira (26), no Hotel Fiesta, em Salvador. Aécio chegou ao local depois das 11h30, com pouco mais de 30 minutos após o horário previsto, mas deixou claro qual era o seu propósito na Terra de Todos os Santos. “Não tenho a ilusão de que posso aumentar o número de votos de José Serra na Bahia. Mas, amigos e amigas, quero convidá-los a refletir. Queremos um governo que não separe ricos e pobres, brancos e pretos e nem filiados e não filiados. Queremos José Serra presidente do Brasil”, disse.

Jogo duro - Antes do pronunciamento do neto de Tancredo Neves, a reportagem do Bocão News conversou com o senador ACM Jr. (DEM) sobre os últimos momentos da corrida presidencial. Ele disse que é incrível imaginar que o candidato José Serra possa superar Dilma Rousseff (PT) na Bahia neste segundo turno. “Nosso trabalho é para diminuir a diferença e melhorar a performance de votos em toda região”, observou.


O vereador Paulo Câmara (PSDB) também aposta que Serra não terá mais votos do que a candidata de Lula em Salvador.  “É uma projeção muito otimista. Neste momento, temos que ter os pés nos chão. Dilma teve 63% dos votos válidos na capital no primeiro turno, enquanto nosso candidato ficou com algo em torno de 20%. O objetivo fechar em 40% dos votos válidos”.

Nem mesmo o deputado Jutahy Magalhães Jr. (PSDB), amigo de José Serra, acredita que o ex-governador de São Paulo tenha um desempenho melhor do que a oponente no estado: “aqui, com certeza, vamos ampliar nossa frente em Vitória da Conquista e Tancredo Neves. Além disso, vamos conseguir a confiança de muitos indecisos. Mas, vamos ganhar mesmo é no Pará, Goiás, Minas, São Paulo e em todo Brasil”.
 

Entretanto, as previsões modestas não contaminaram o senador mineiro. “Esse é um momento importante. Os baianos sempre tiveram posições firmes em momentos decisivos da história desse país. Não posso acreditar que justamente agora o Brasil e a Bahia não façam uma reflexão bem detalhada das duas propostas. Não temos razões para baixar a cabeça. Temos que acreditar e ter coragem. Minas e a Bahia darão uma demonstração clara para todo o país de que querem Serra presidente da República”.

Desilusão - Talvez, Aécio Neves não tivesse uma posição tão otimista se visse como o fundo do auditório estava vazio. Nem mesmo a militância paga e as caravanas do interior conseguiram ocupar todos os espaços reservados pelo cerimonial do Hotel Fiesta.


 

Além disso, Aécio também não presenciou quando um motorista anônimo ficou irado porque um cabo eleitoral do PSDB colou um adesivo de Serra em seu carro. O condutor desceu do veículo, arrancou o adesivo e discutiu com um rapaz que coordenava o grupo. A reação só não escapou das lentes do fotógrafo do Bocão News, Edson Ruiz.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar