Política

Geddel se defende de acusações

[Geddel se defende de acusações]
17 de Setembro de 2010 às 14:17 Por: Luiz Fernando Lima

O município de Governador Mangabeira é um exemplo claro de como as alianças políticas estão confusas no cenário atual da Bahia. Lá, a prefeita da cidade, Domingas Souza da Paixão (PMDB) apóia o candidato à reeleição Jaques Wagner (PT), concorrente direto do também peemedebista Geddel Vieira Lima. Do outro lado, está o candidato derrotado por Domingas, na última disputa pela gestão da cidade, Marcelo Pedreira, que é filiado ao Partido Progressista. Pedreira é correligionário de Otto Alencar, vice na chapa de Wagner.

O samba do crioulo doido não para por ai. O conselho de ética do PMDB analisa o pedido de expulsão da prefeita. Do outro lado, Domingas acusou Geddel e Lúcio Vieira Lima, irmão do candidato e presidente estadual da legenda, de perseguição política e racismo.

Em comício realizado na cidade na última quinta-feira (16), o peemedebista se defendeu. “A senhora prefeita, quando resolveu trair o PMDB, alegou que sou racista. E ela disse que eu a tinha agredido porque ela é mulher, negra e ex-doméstica. Edvaldo Brito, esse grande negro que me acompanha nessa jornada, filho de lavadeira e pedreiro, é o exemplo que quero que meus filhos tenham”, afirmou.

Quando o ex-ministro diz que a prefeita praticou traição por anunciar apoio a outro candidato, ele não deixa claro se aqueles que são filiados a outras legendas e o apóiam também o são, e se merecem, como Domingas, responder ao conselho de ética de seus respectivos partidos.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar