Salvador

Vídeo: afogamento na Boca do Rio chama atenção para falta de salva-vidas no local

[Vídeo: afogamento na Boca do Rio chama atenção para falta de salva-vidas no local]
24 de Setembro de 2018 às 11:51 Por: Reprodução Por: Redação BNews

Se não fosse a ajuda de integrantes de um grupo que joga futebol aos domingos, um homem teria morrido afogado em uma praia no bairro da Boca do Rio, em Salvador, próximo do antigo Aeroclube, por volta das 12h, deste domingo (24). O caso foi detalhado ao BNews por meio de um leitor do site que presenciou a situação. 

A vítima era um homem que aparentava ter cerca de 20 anos. “Foi resgatada já muito debilitada devido ao cansaço. É um descaso que está acontecendo há muito tempo nesta praia sem salva-vidas. Sempre acontecendo diversos afogamentos. A turma do futebol foi quem retirou ele usando um pedaço de prancha quebrada e bolas. Há anos não existe salva-vidas”, conta o homem que faz parte do grupo Futebol de Praia Barreiro.

A Coordenadoria de Salvamento Marítimo de Salvador (Salvamar), vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), opera em apenas um trecho da orla de Salvador, entre o Jardim de Alah e Ipitanga, na divisa com o município de Lauro de Freitas. 

As outras regiões têm atuação do Corpo de Bombeiros. Agentes do 13º Grupamento de Bombeiros Militar/Gmar atendem a população entre as praias de Amaralina e São Thomé de Paripe, distribuídos em cinco pontos fixos (Porto e Farol da Barra, Ondina, Rio Vermelho e Boa Viagem), além de Itapuã, onde está localizado o quartel do Gmar.

Há alguns anos, salva-vidas denunciam as condições precárias de trabalho e o déficit de profissionais. Em agosto deste ano, chegaram a ficar em greve. Em 2008, em concurso realizado pela prefeitura de Salvador, 176 pessoas foram aprovadas. Em 2008, um concurso da prefeitura de Salvador aprovou 176 pessoas para 150 vagas, que por causa da classificação, todos acabaram convocados.

Questionada pela reportagem sobre o ocorrido, sinalização das praias, além do atual quadro da categoria, a assessoria da Semop enviou uma nota de esclarecimento. Confira a íntegra da nota:

"A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) informa que a praia da Boca do Rio tem índice quase zero de ocorrências nos registros da Coordenadoria de Salvamento Marítimo de Salvador (Salvamar). Vale ressaltar que o local não é muito frequentado por banhistas e não é recomendável para banho por parte do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

Sobre a sinalização nas praias, a Semop está finalizando o processo de aquisição de placas de alerta para instalação em locais estratégicos, no perímetro de Jardim de Alah até Ipitanga.
 
A Salvamar reúne 241 salva-vidas que atuam em escalas de 8h às 18h, em 32 postos espalhados ao longo dos 28 quilômetros de orla marítima sob a cobertura da Salvamar, que vai de Jardim de Alah até Ipitanga, além das Ilhas de Maré e Ponta de Nossa Senhora, além de quatro postos móveis, com dois salva-vidas em cada, que dão cobertura aos locais entre um posto fixo e outro, circulando entre Jardim de Alah até Patamares, outro até Itapuã, depois até Praia do Flamengo, finalizando em Ipitanga.

Neste fim de semana, a Salvamar fez 40 resgates de afogamentos, sendo Piatã o local com maior índice de ocorrências. Neste período de transição para a primavera, iniciada no último sábado (22), o sol parece de verão, o que tirou muita gente de casa para curtir as praias da capital, mas as correntes e ondas são mais fortes.

Investimento – Neste ano, a Semop vai investir R$ 310 mil com equipamentos que dão suporte diário no trabalho dos salva-vidas. Um deles é um quadriciclo, que já foi adquirido, além de 40 rescue tube (flutuadores), 200 nadadeiras, 600 protetores labiais e 40 pranchas long board, sendo 15 do tipo com alça, que até então nunca havia sido usada pela Salvamar, mas que possibilita resgatar duas ou três vítimas de afogamento ao mesmo tempo, oferecendo assim maior possibilidade de salvamento e segurança aos banhistas. Visando dar mais conforto aos profissionais, serão reformados 32 mirantes.

Juntamente com o valor investido no ano passado, de cerca de R$ 360 mil, a Semop calcula o maior investimento por ano feito para a Salvamar nos últimos quatro anos. Em 2017, foram adquiridos 40 rescue tube; 120 bandeiras; 300 protetores labiais; 300 apitos; 100 bandeiras de identificação; além da entrega de 16 novos mirantes e da reforma de outros 16 antigos. A piscina também foi requalificada para proporcionar maior qualidade à preparação física e melhorar o desempenho dos agentes. Três veículos novos, sendo duas kombis e uma pick-up, foram incorporados para melhor atender à equipe de salva-vidas."

 

Atualizada às 15h50

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar