Saúde

Projeto inclui música nos cuidados com pacientes de hospital público em Salvador

[Projeto inclui música nos cuidados com pacientes de hospital público em Salvador]
26 de Setembro de 2018 às 23:13 Por: Paula Fróes/GOVBA Por: Redação BNews

Um projeto lançado nesta quarta-feira (26), no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), pretende usar a música como mais um recurso na recuperação de pacientes do Centro de Terapia Intensiva da unidade. 

O ‘Visita Cantada’ envolve profissionais de saúde da unidade e, inicialmente, será realizado uma vez por semana, durante o horário de visitas, para que os familiares também participem. 

“Buscando a humanização e o melhor conforto para pacientes que estão em Unidade de Terapia Intensiva, que são geralmente mais graves, nós identificamos junto com alguns profissionais que a música proporciona ao paciente uma resposta melhor ao tratamento. Já existem estudos científicos que comprovam esse bem-estar do paciente. Esse tipo de ação pode levar até a uma alta mais precoce a partir da redução do stress do internamento”, explica o diretor-médico do HGRS, André Durães.
Uma das organizadoras do projeto, a psicóloga Nicolle Melo esclarece que a proposta é aberta a todos os profissionais de saúde do hospital, que podem se voluntariar para participar da iniciativa. “A ideia é levar música para todas as unidades do hospital, como as UTIs, enfermarias e emergência. Hoje o projeto conta com duas psicólogas e cinco assistentes sociais. A proposta é que toda a equipe, incluindo médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, possa aderir ao nosso projeto. A música é o nosso grande recurso terapêutico”, esclarece.

Internada há uma semana na UTI cardiovascular, a paciente Edineide Gama não segurou a emoção. “Eu estava dormindo e comecei a ouvir a música. Fui achando que era um sonho, mas acabei despertando. Música é algo importantíssimo para as nossas vidas porque mexe com a nossa emoção, com a alma. Estar numa UTI é um momento muito solitário, e a música me faz muita falta. Foi um momento lindo que vivenciei aqui”.

A psicóloga Quézia Menezes toca violão no projeto. Para ela, a iniciativa representa o encontro de duas paixões: a música e a psicologia. “Eu fiquei muito feliz de participar. Ver os profissionais e a diretoria abraçando este projeto é muito prazeroso. É poder ampliar o nível de tratamento oferecido às pessoas. Consegui juntar dois trabalhos que eu amo para fazer as pessoas mais felizes”, conclui.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar