Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Turismo

Ferry Agenor Gordilho é o primeiro do país a passar por naufrágio assistido

[Ferry Agenor Gordilho é o primeiro do país a passar por naufrágio assistido]
21 de Novembro de 2020 às 11:55 Por: Vagner Souza/BNews Por: Redação BNews

O ferry-boat Agenor Gordilho, o primeiro a realizar o trajeto Salvador-Itaparica, também foi o pioneiro do país na técnica do naufrágio assistido, que consiste em um afundamento da embarcação com data e hora marcada. O procedimento aconteceu na manhã deste sábado (21), na capital baiana, e contou com a presença do secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco.

“Isso vai dar uma guinada no nosso turismo subaquático, marítimo, já que temos tantas riquezas por aqui. Salvador foi, durante quase um século, o maior porto das Américas. Temos aqui diversos navios afundados ao longo da história, mas, essa vez é a primeira que a gente provoca isso”, disse o secretário.

"O naufrágio assistido de embarcações propicia a formação de recifes artificiais, que favorecem o habitat marinho e se convertem em atrativo para visitantes, mergulhadores profissionais e estudiosos. Para que tudo fosse feito com todo o cuidado com a natureza, nós contratamos uma empresa especializada para fazer a retirada de todo o material contaminante que pudesse trazer qualquer dano para o meio ambiente. Essa empresa está fazendo um relatório com todos os dados, que será avaliado pela Marinha", explicou o representante da Setur, Jaime Salgado.

Todo o processo de estudos e análises para o naufrágio assistido durou cerca de dois anos. A data da submersão foi definida depois que os últimos detalhes para a operação foram discutidos entre o secretário Fausto Franco, o capitão dos Portos da Bahia, Márcio Gomes Amaral, e o capitão-tenente Herbert Bruno da Cunha França.

De acordo com o Alfredo Araújo, especialista em Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, cuidados com o desmonte e a limpeza do equipamento foram tomados dentro das normas técnicas. "Esses estudos e cuidados possibilitam que a vida marinha se beneficie do afundamento. A embarcação irá se tornar um recife de corais artificial e o habitat de diversos seres marinhos. A previsão é de que em um ano a embarcação esteja repleta de vida marinha", afirmou.

Com 71 metros de comprimento e 19 metros de altura, o Agenor Gordilho fez a viagem inaugural no Sistema Ferry Boat no dia 5 de dezembro de 1972. A embarcação realizou a travessia Salvador-Itaparica durante 45 anos, até o fim de 2017.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso