Coronavírus

Detectado em Salvador primeiro caso de reinfecção com mesma mutação do coronavírus

[Detectado em Salvador primeiro caso de reinfecção com mesma mutação do coronavírus]
08 de Janeiro de 2021 às 07:47 Por: National Institutes of Health Por: Redação BNews

Cientistas identificaram em uma mulher de Salvador, capital baiana, o primeiro caso de reinfecção no Brasil com uma mutação do coronavírus encontrada inicialmente na África do Sul e que provoca preocupação mundial. A informação foi publicada, nesta sexta-feira (8), pelo Jornal O Globo e confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

A linhagem com a mutação da Bahia é a mesma identificada pela primeira vez no estado do Rio de Janeiro, cuja descoberta foi anunciada em dezembro, e, apesar de ser diferente da sul-africana, compartilham a mutação E484K, que preocupa porque atinge uma região crucial do coronavírus, podendo tornar o vírus ainda mais transmissível.

Em nota, a Sesab informou que a paciente em questão é uma mulher de 45 anos que contraiu a Covid-19 duas vezes em um intervalo acima de 90 dias, conforme laudos emitidos pelo Hospital São Rafael em maio e outubro de 2020. O órgão informou também que, em 22 de dezembro de 2020, o hospital comunicou oficialmente à pasta sobre o caso suspeito de reinfecção.

Além do caso da mulher, foram identificados outros 118 casos suspeitos de reinfecção que ainda estão em processo de investigação. Os pacientes tem faixas etárias de 5 a mais de 80 anos. Deste total, há 82 notificações para o sexo feminino e 36 para o sexo masculino.

Preocupação

Uma das preocupações envolve a suspeita de que essa mesma mutação afeta também a região do vírus alvo da maioria das vacinas. Uma outra mutação da linhagem encontrada no Reino Unido e que já se espalhou por mais de 30 países atinge a mesma região do coronavírus.

Liderado por Bruno Solano, do Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa (IDOR) e do Hospital São Rafael, o estudo foi submetido à revista Lancet e a descoberta da reinfecção da mulher de 45 anos já foi comunicada ao Ministério da Saúde e às autoridades de saúde da Bahia.

“Esse tipo de estudo é essencial para compreender a propagação da pandemia e identificar a tempo mudanças no vírus que possam ter impacto na transmissão e nas vacinas”, destacou Solano.

Mutação
A mutação altera o chamado RDB, o ponto em que o Sars-CoV-2 se liga às células humanas, sendo a região mais crítica da proteína mais importante do coronavírus, a espícula ou S, alvo da maioria das vacinas e dos anticorpos neutralizantes produzidos pelo sistema imunológico. Como é o ponto de ligação entre o vírus e as células, o RDB é atacado pelos anticorpos.

Porém, a mutação confere ao vírus o que os cientistas chamam de mecanismo de escape. Ou seja, as mudanças genéticas fazem com que os anticorpos percam a especificidade contra o RDB porque ele já não é mais o mesmo, deixando de neutralizar o vírus.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar