Coronavírus

Salvador possui apenas 3 mil doses da CoronaVac para 2º dose

[Salvador possui apenas 3 mil doses da CoronaVac para 2º dose ]
12 de Maio de 2021 às 07:37 Por: Betto Jr/Secom Por: Nilson Marinho

A falta de doses da CoronaVac para a segunda aplicação em Salvador tem causado aglomerações e confusão nos postos de vacina. O número de imunizantes que o município possui é bem inferior à quantidade de pessoas que precisam reforçar a proteção contra a Covid-19.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Leo Prates, só há 3 mil vacinas em estoque. No domingo (9), o número de pessoas precisando do reforço vacinal era de cerca de 80 mil. As vacinas restantes serão aplicadas nesta quinta (13), mas só naqueles que marcarem um horário pela plataforma Hora Marcada.  

“A gente entende a aflição e se coloca no lugar das pessoas, mas não houve nenhum tipo de anúncio por parte da prefeitura de que hoje teria vacinação de CoronaVac, mesmo assim as pessoas se deslocam com o intuito de tomar a vacina, só gera tumulto. Vagas abrir as vagas para as 3 mil doses pelo o Hora Marcada”, disse Prates durante entrevista à TV Bahia.

Novas doses

As notícias não são nada animadoras para o estado da Bahia e a expectativa é que a vacinação com o imunizante produzido no Brasil pelo Butantan seja a conta-gotas. Ainda segundo o secretário, o governo federal deve enviar nesta semana uma quantidade menor de doses do que o esperado pelas prefeituras baianas.

 “O governo federal enviaria à Bahia 400 mil entre amanhã e sexta-feira, mas, às vésperas, fomos informados que só chegariam 130 mil, desse total, Salvador deve ficar com algo em torno de 30 mil, mas a nossa expectativa era de receber 60 a 80 mil, estávamos prontos para isso”, completou o gestor. 

Produção

Outra grande preocupação neste momento é com o atraso do envio do insumo para a produção da vacina no Brasil.10 mil litros do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para a produção de 18 milhões da CoronVac estão presos na China à espera de autorização para o envio ao Butantan.

O atraso, segundo o diretor do instituto, Dimas Covas, pode comprometer todo o calendário de vacinação do país a partir de junho. A produção do imunizante está parada desde a semana passada e as doses que estão sendo entregues aos estados fazem parte de um lote que já estava pronto. 

Matérias relacionadas:

Confira programação completa da vacinação contra Covid-19 em Salvador nesta quarta (12)

Vacinado com a Pfizer, Rui Costa diz que queria ter tomado dose da Sputnik V

'Nenhuma grávida em Salvador tomou vacina de Oxford', diz prefeito após recomendação da Anvisa

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar