Olimpíadas

Baiano Breno Correia analisa realidade da natação no Brasil: 'Falta um pouco de incentivo'

César Guimarães/COB

Nadador foi o único representante da Bahia na modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Publicado em 10/09/2021, às 17h18    César Guimarães/COB    Lara Curcino e Léo Sousa

O nadador baiano Breno Correia analisou em entrevista ao programa Arena BNews a realidade da natação brasileira. Único atleta da Bahia a participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio nas piscinas, ele avalia que "falta um pouco de incentivo" à modalidade no país.

"Eu sou muito abençoado por representar o clube que eu represento hoje, que é o Pinheiros. Digamos que é um clube estável, então a gente recebe um salário, que vai cair no dia certo. Quando você é um atleta olímpico, briga ali por seleção, você consegue um bom salário, se comparar com outros esportes individuais e olímpicos. Mas se a gente parar pra pensar na realidade financeira dos esportes, acredito que realmente falta um pouco de incentivo, se parar pra olhar, de um modo geral", diz o nadador.

"Você arranjar patrocinador na natação é bem complicado também. Normalmente o pessoal que consegue quando é novo é por causa de pai ou mãe que trabalha em alguma empresa e consegue pôr um patrocinador para o filho. Mas, por exemplo, eu sou atleta olímpico, tenho algumas medalhas de Pan-Americano, tenho recorde mundial na piscina curta e tenho umas parcerias, mas um patrocínio certo assim eu não tenho. Então acredito que é um pouco difícil de arranjar patrocínio no Brasil", acrescentou.

Apesar de ter deixado Tóquio-2020 há menos de um mês, o nadador já participa de competições, focado na preparação para as Olimpíadas de Paris-2024, cujo ciclo será mais curto, de três anos. Atualmente, Breno está em Nápoles, na Itália, onde participa da International Swimming League (ISL). 

“Após os Jogos tive uma seletiva para o Campeonato Mundial de Piscina Curta. Infelizmente não me classifiquei no individual, 200m livre, e estou esperando vaga pelo revezamento. No momento estou competindo na Itália e para esse ano já tenho o Campeonato Pan-Americano Júnior e, se tudo der certo, o Piscina Curta. Ano que vem teremos Piscina Longa e Curta, Universíade e em 2023 Piscina Longa e Jogos Pan-Americanos”, contou. 

Confira a entrevista completa:



Os episódios do Arena BNews estão disponíveis também em formato podcast. Ouça agora:

Classificação Indicativa: Livre