Brasil

João Roma sobre programa Comida no Prato: "Quem tem fome não pode esperar"

Divulgação

A solenidade aconteceu no Palácio do Planalto e reuniu ministros, autoridades, representantes do setor de alimentos e outras personalidades

Publicado em 11/11/2021, às 21h36    Divulgação    Redação BNews

O ministro da Cidadania, João Roma, disse nesta quinta-feira (11), durante o lançamento do programa Comida no Prato, que vai facilitar a doação de alimentos no país. A iniciativa abre possibilidade de isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para empresas doadoras. 

"Com um rigoroso processo de desburocratização, combateremos o desperdício de comida. Das 140 milhões de toneladas de alimentos produzidas no Brasil, 20% vão para a lata do lixo. Vamos conectar interessados em doar com instituições que combatem a insegurança alimentar. Quem tem fome não pode esperar e o governo trabalha incansavelmente para a comida chegar à mesa de quem mais precisa da mão amiga do Estado", afirmou Roma.

De acordo com o ministro, com essa regulamentação, "atualizamos as normativas para que ficasse claro que, se esses produtos forem entregues nesta rede de banco de alimentos, a indústria também ficaria isenta de impostos", disse. "Porque esse produto não está sendo comercializado, está destinado a uma função social. Com isso, estamos potencializando a capacidade de doação não só da rede de varejo, mas de muitas indústrias", frisou. 

A solenidade aconteceu no Palácio do Planalto e reuniu ministros, autoridades, representantes do setor de alimentos e outras personalidades. "Quando se fala que em torno de 30% [de alimentos produzidos] é desperdiçado, no Brasil equivale, você com esse desperdício, poder alimentar 60 milhões de pessoas", disse Bolsonaro. 

O objetivo do programa é conectar empresas interessadas em doar alimentos e instituições habilitadas a receber as doações. Além de instituir um manual operativo de doações, a portaria cria um selo de reconhecimento para as empresas que se conectarem ao serviço e realizarem doações.

Leia também:

Morre deputado João Isidório após afogamento em praia de Madre de Deus

Deputada bolsonarista quer proibir "linguagem neutra" nas escolas da Bahia

Vox Populi: Bolsonaro perde para Lula em vários cenários; veja números

Deputada propõe que Ponte Salvador-Itaparica ganhe nome de heroína negra

Classificação Indicativa: Livre