Cidades

Secretaria da Saúde de Paulo Afonso é investigada por obrigar funcionários a devolverem valores de hora extra

Reprodução / Google Street View

Ao BNews, a prefeitura negou qualquer irregularidade

Publicado em 30/04/2019, às 09h30    Reprodução / Google Street View    Adelia Felix

Supostas irregularidades mencionadas pelo Conselho Municipal de Saúde de Paulo Afonso, no Vale São-Franciscano da Bahia, no Relatório do Modelo de Saúde, serão investigadas pelo Ministério Público Federal (MPF). As informações foram publicadas em uma portaria, assinada pelo procurador da República Edson Abdon Peixoto Filho, nesta terça-feira (30), que determina a instauração de um inquérito civil.

Segundo a publicação, funcionários da Secretaria da Saúde estariam sendo obrigados a repassar valores recebidos por hora extra à pasta. Além disso, o órgão federal vai investigar sobrepreço no contrato nº 0172/2017, celebrado entre o Município e a empresa Marluce Bezerra Lopes, no valor de R$ 167.900. Também será investigado suposto sobrepreço na contratação da empresa UNIMAGEM para terceirização dos serviços de saúde. 

Por meio de nota enviada para reportagem, a assessoria da prefeitura informou que os atos praticados pela administração pública são sempre pautados pela legalidade. Ressaltou ainda que “é de suma importância qualquer apuração de eventual  irregularidade para que sejam tomadas as devidas  providências”. 

A gestão municipal garantiu também que serão prestadas todas as informações e apoio necessário ao MPF para apuração da verdade e, caso seja comprovado, os agentes responsáveis serão responsabilizados.

Classificação Indicativa: Livre