Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Leão x Otto

[Na Sombra do Poder: Leão x Otto]
22 de Novembro de 2018 às 00:00 Por: Arquivo/BNews Por: Editoria de Política0comentários

Leão x Otto

Não chamem para a mesma roda de conversa o presidente do PP na Bahia, vice-governador João Leão, e o presidente do PSD, senador Otto Alencar. Os dois estão em franco duelo, cada um com seu candidato, na corrida pela presidência da Assembleia Legislativa (AL-BA). Rui Costa (PT), o bombeiro, deu um prazo de 20 dias para que os caciques políticos se entendam, sob pena de colocar em votação dentro do grupo a escolha do nome que vai disputar o Legislativo.

Maracujá

Se o governador Rui Costa levou maracujá, como prometeu, para as reuniões que teve segunda-feira (19), o calmante não surtiu efeito. Enquanto esteve no exterior, o PP de Leão foi a campo com o nome de Nelson Leal e conquistou quase duas dezenas de votos. Adolfo Menezes, no PSD de Otto, anunciou que só estava aguardando Rui retornar para se articular. O pessedista promete novidades para a próxima semana.

Motivação

A ação the flash do PP instigou questionamentos a respeito da dimensão que alcançou em tão pouco tempo. Entre as respostas, uma delas é que os partidos da base querem frear o crescimento do PSD, que já comanda a Casa, tem dois senadores e deve manter a presidência da União dos Municípios da Bahia (UPB). Isso, porém, ninguém admite. Quando questionados, os parlamentares garantem que somente a ‘persona’ de Leal é o que lhes tem garantido a simpatia dos colegas.

Desmotivação

Uma fonte do alto escalão e influente no Palácio de Ondina revelou a esta coluna o motivo da insatisfação dentro do PP com o nome de Leal para o pleito. Antes no PSL, Leal estava em conversas adiantadas para se filiar ao PSD de Otto Alencar, mas debandou para o PP aos 45 do segundo tempo. Caciques com mais tempo no PP não gostaram. Exemplo disso foi a resistência de Aderbal Caldas ao fato de a legenda pepista lançar Leal para o front.

Déjà vu

A situação atual do PT se confunde com a história recente da agremiação. Em 2015, Rosemberg Pinto tentava se viabilizar para a disputa da presidência da AL-BA, mas retirou a candidatura no dia da votação em protesto contra a reeleição de Marcelo Nilo (PSB). Hoje, os indicativos de que essa retirada do time de campo poderá ocorrer com antecipação são fortes.

Receptivo

O presidente da AL-BA, Angelo Coronel (PSD), voltou do exterior e vai precisar ter jogo de cintura para debelar as chamas que cresce entre os colegas de Parlamento. Com a situação fiscal da Casa apertada e precisando de suplementação, que Rui já disse não ter dinheiro para repassar, Coronel terá que cortar na carne. E os deputados não gostam nem um pouco dessa ideia. Há temor de que possa ocorrer cortes de cargos e de verba de gabinete, além da possível redução de gratificações. 

Vai, mas fica

Lembra aquela história de que o Detran, politicamente na cota do deputado Bacelar (Podemos) iria mudar da atual sede na ACM para o Shopping da Bahia? A história foi contada pela metade. O que se fala é que, por acordo político, serão transferidos para o novo endereço serviços como central de atendimento, vistoria e protocolo. Na antiga sede, o cidadão resolverá assuntos de defesa prévia, leilão, dentre outros. Ou seja, pode ser que o indivíduo, que não paga taxas baratas, tenha que ficar no vai e volta de um lugar para o outro. 

Que fim levou?

Nunca mais se ouviu falar na bilionária licitação da PPP da luz em Salvador. Desde que o procedimento licitatório foi questionado por algumas empresas e suspenso pela Justiça, o assunto morreu. 

Pombo-correio

Um vereador ganhou um apelido nada discreto durante o processo de eleição que culminou na vitória de Geraldo Júnior (SD) para presidente da Câmara de Salvador. De tanto idas e vindas no Palácio Thomé de Souza com informações levadas ao prefeito ACM Neto (DEM), o legislador ficou com a alcunha de pombo-correio. 

Bolsa de apostas

Por falar em Neto, o democrata tem pela frente uma reforma administrativa. Quem acompanhou o noticiário mais recente, percebeu que o chefe do Executivo desautorizou um secretário seu publicamente. Com isso, o índice da bolsa de apostas subiu absurdamente, tal qual a possibilidade de queda do rapaz.

Elevação de alíquota

Informações chegadas ao BNews dão conta de que Rui Costa (PT) estuda ampliar de 12% para 14% a alíquota de contribuição de servidores à previdência estadual. A ideia foi colocada na mesa para os deputados estaduais, que se entreolharam já pensando no desgaste que enfrentarão para votar o projeto. 

Pacote de maldade

A oposição, por sua vez, já começou a se mexer prevendo o cenário. A estratégia, segundo um interlocutor ouvido por esta coluna, é classificar os projetos do governo a respeito da adequação financeira como “pacote de maldade” do governo petista. 

Extinção

Além da intenção de elevar a alíquota previdenciária, estaria nos planos de Rui privatizar estatais ou até mesmo excluir algumas consideradas "ineficientes". No rol de corte, estariam a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), a Bahia Pesca e a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) e a Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb). A meta é enxugar a máquina pública, conforme o próprio governador atestou. Um oposicionista riu: “quem era o PT... agora falando em privatizações”. 

Embasa

A possibilidade de privatização da Embasa, inclusive, volta à baila, embora seja negada pelo Governo do Estado. Nesse caso, resta aguardar cenas dos próximos capítulos. O fato, é que a crise chegou e está sendo tratada de forma aberta.

Missão

Quando chega a alta estação, muita gente recorre às academias para para a tal operação verão. A foto acima do secretário Fábio Vilas Boas, titular da Saúde estadual, diz muita coisa. Ele não estaria se preparando apenas para o verão ou para o carnaval. Diz-se que sua missão é se chama 2020. 

A escolha

Ainda sobre o Parlamento baiano, já está ganhando contornos consensuais o nome de Targino Machado para liderar a bancada oposicionista. Antes, havia alguma resistência, mas o cenário tem mudado e o próprio parlamentar já vem atuando tal qual um líder no plenário. Um dos integrantes do grupo disse a esta coluna em alto e bom som “ninguém quer, vai ser Targino”.  O deputado é conhecido por ter perfil sem papas na língua. 

Sentando à janela

Novato no pedaço, o deputado estadual eleito Capitão Alden (PSL) já mira uma cadeira na Comissão de Segurança Pública da AL-BA. Nesta semana, além de Alden, outros futuros parlamentares estiveram na Casa reconhecendo o território: Laerte de Vando (PSC), Talita Oliveira (PSL) e Pastor Tom (Patriota).

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas