Justiça

Tragédia em Mar Grande: proprietário e comandante da lancha Cavalo Marinho I se tornam réus no TJ-BA

Alberto Maraux/SSP-BA/Divulgação

Todos já foram citados e têm direito à defesa

Publicado em 13/09/2018, às 16h42    Alberto Maraux/SSP-BA/Divulgação    Redação BNews

Após denúncia realizada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) por causa do acidente com a lancha Cavalo Marinho I,  em de Mar Grande, que deixou 19 pessoas mortas e 54 passageiros feridos, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) aceitou denúncia contra o proprietário da empresa CL Transporte Marítimo, Lívio Garcia Galvão Júnior, e o comandante da embarcação, Osvaldo Coelho Barreto. Eles vão responder pelo crime de homicídio culposo (sem intenção de matar) e lesão corporal culposa.

A denúncia é baseada no inquérito policial realizado pela  Delegacia de Vera Cruz. Nela, o comandante e o proprietário são acusados de agir com "imprudência e imperícia". "Caberia ao comandante da embarcação avaliar e decidir, suspender a travessia ou prosseguir viagem", disse o promotor ao Correio. Lívio também é responsabilizado por autorizar e efetuar reforma da lancha sem habilidades necessárias. A embarcação teria passado por mudança no lastro - pesos usados para 'dar' equilíbrio à embarcação - sem comunicação à Capitania dos Portos e ao engenheiro naval que aprovou a lancha.

O marinheiro Osvaldo Barreto é responsabilizado por não ter suspendido a travessia diante das condições climáticas do dia. Embora o inquérito policial tenha concluído no sentido de imputar culpa ao engenheiro Henrique José Caribé Ribeiro, o promotor do MP-BA entendeu que ele não deveria ser indiciado. Além da ação penal do TJ-BA, a empresa, a Marinha e outros nove réus respondem por pelo menos 95 processos na Justiça. Todos já foram citados e têm direito à defesa.

Matéria relacionada:

Tragédia em Mar Grande: "Quando abri os olhos, eu vi as pessoas sumindo na água", relembra sobrevivente

Classificação Indicativa: Livre