Justiça

STJ abre inquérito com base em mensagens da Lava Jato apreendidas pela operação Spoofing

Edilson Rodrigues/Agência Senado

Inquérito vai investigar suposta tentativa de intimidação e investigação ilegal de ministros da corte por parte de promotores da Lava Jato 

Publicado em 19/02/2021, às 18h25    Edilson Rodrigues/Agência Senado    Redação BNews

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, determinou, nesta sexta-feira (19), a instauração de um inquérito com base em mensagens apreendidas no âmbito da Operação Spoofing. A ação investiga invasões às contas de Telegram de autoridades brasileiras e membros da força-tarefa da operação Lava Jato. 

De acordo com informações divulgadas pelo STJ, o inquérito vai apurar suposta tentativa de intimidação e investigação ilegal de ministros da corte, bem como de violação da independência jurisdicional dos magistrados. Todas estas hipóteses foram levantadas a partir da divulgação de mensagens trocadas entre procuradores ligados à Lava Jato.

O inquérito será conduzido por Martins e tramitará em sigilo. No início do mês, o presidente do STJ havia solicitado à Procuradoria-Geral da República (PGR) a apuração na esfera criminal, e ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), a apuração no nível administrativo, da conduta dos procuradores.

As mensagens apreendidas no âmbito da Spoofing tiveram o sigilo levantado pelo relator da ação no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Ricardo Lewandowski. De acordo com a portaria 58, que instaura o inquérito, o ato é fundamentado no artigo 21, inciso II, e no artigo 58, parágrafo 1º, do  do Regimento Interno do STJ.

Classificação Indicativa: Livre