Denúncia

Seis alunas de colégio estadual do Imbuí são assaltadas e pais culpam diretora

Estudantes tiveram que aguardar aula do lado de fora do Colégio Estadual Professor Rômulo Almeida

Publicado em 22/10/2016, às 14h36    Reprodução / blog do Zé Carlos Borges    Tony Silva

Familiares de alunas do Colégio Estadual Professor Rômulo Almeida, localizado no bairro do Imbuí, em Salvador, entraram em contato com a reportagem do Bocão News para denunciar a diretora da unidade de ensino identificada pelo prenome de Mércia. Segundo os pais e responsáveis, seis estudantes do primeiro, segundo e terceiro ano do ensino fundamental do turno matutino foram assaltadas após a diretora obrigá-las a aguardar a continuidade de atividades complementares do contra-turno, do lado de fora da instituição de ensino nesta quinta-feira (20).  

De acordo com o relato de um dos pais das alunas, Ailton Ferreira, sem opção, as jovens ficaram na praça do Imbuí, quando um assaltante em posse de arma de fogo, rendeu, agrediu, fez ameaças e roubou aparelhos celulares das estudantes de idades entre 16 e 17 anos. Os pais também relataram que as jovens foram obrigadas a acompanhar o criminoso até o viaduto que liga o Imbuí a Narandiba, onde foram liberadas em estado de choque.

De acordo com Viviane da Silva, mãe de uma das alunas, desde o início do ano letivo, elas participam de aulas no período integral e entre o turno matutino e vespertino, aguardam dentro da unidade escolar. “Elas alertaram a diretora que do lado de fora seria perigoso aguardar a aula, ela reconheceu o risco, mas mesmo assim, foi firme e as meninas tiveram que aguardar a aula da tarde na praça do Imbuí”, diz a familiar da jovem.

Após o ocorrido, os familiares procuraram a direção do colégio e a diretora disse que não existe nenhuma lei que a obrigue a manter os alunos na escola no tempo integral, mesmo tendo aula da grade da instituição de ensino. “Ela disse que as meninas tinham que esperar do lado de fora e retornar depois. As meninas estavam com a farda da escola”, disse Viviane. 

Os familiares das jovens registraram ocorrência na 9ª Delegacia Territorial (DT) da Boca do Rio e estão se organizando para levar o caso ao Ministério Público do Estado (MPE). A reportagem do Bocão News entrou em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Educação e a pasta informou que no horário que as jovens foram assaltadas o portão da unidade de ensino estava aberto. Leia a íntegra da nota:

Em relação ao ocorrido com as estudantes do Colégio Estadual Rômulo Almeida, a direção da unidade escolar esclarece que a escola oferta aulas nos turnos matutino e vespertino e, entre um turno e outro, é feita a limpeza. No horário do ocorrido, o portão da escola já estava aberto. A direção da unidade escolar prestou toda a assistência às estudantes e acionou a Ronda Escolar e as famílias. A 39ª Companhia da Polícia Militar também foi acionada e está intensificando a ação no entorno do colégio.

Publicada originalmente dia 21

Classificação Indicativa: Livre