Denúncia

Familiares de gestante denunciam falta de médico na Maternidade Maria Conceição de Jesus

Leitor BNews

Publicado em 10/07/2021, às 17h32    Leitor BNews    Redação BNews

Familiares de uma mulher grávida de 41 semanas denunciaram ao BNews falta de atendimento médico para a gestante na Maternidade Maria Conceição de Jesus, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, recentemente inaugurada pelo Governo do Estado. À reportagem, um dos familiares que prefere não se identificar por medo de represália, relatou que eles buscaram atendimento na sexta-feira (9) e na manhã deste sábado (10). Segundo a denúncia, a justificativa apresentada pela unidade de saúde é que não há médicos para fazer a indução do parto.

Em vídeo enviado ao site (veja no fim da matéria), gravado nesta manhã, um dos funcionários confirma que não há médico para fazer o procedimento, e, acrescenta que o encaminhamento de pacientes também não está sendo feito. Sem atendimento, os familiares recorreram para o Instituto de Perinatologia da Bahia (IPERBA), também na capital baiana. Nesta outra unidade, a gestante já tinha passado pela triagem e aguardava ser atendida por um médico na tarde deste sábado.

Inaugurada em 31 de maio deste ano, a unidade de saúde foi construída no mesmo local do antigo Hospital João Batista Caribé com o custo de R$ 41 milhões. A maternidade conta com 90 leitos, sendo 10 de UTI Neonatal, 15 de cuidados intermediários, 10 de Gestação de Alto Risco, 25 de Obstetrícia Clínica, 25 de Obstetrícia Cirúrgica e 5 no Centro de Parto Normal Peri-hospitalar.

O que diz a Sesab
Procurada pela reportagem, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou que desde a sua inauguração, a unidade já realizou mais de 190 partos, e que “todas as pacientes são acolhidas, classificadas e atendidas”.

Segundo a pasta, a maternidade “encontra-se em funcionamento, ainda que o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed) tenha impetrado ação judicial contra o Estado, impedindo a contratação de médicos por meio de pessoa jurídica na véspera da inauguração da unidade, reduzindo assim, a disponibilidade de profissionais e inviabilizando a escala completa”. 

Ainda de acordo com a Sesab, a secretaria “está envidando esforços para o reestabelecimento da escala completa o mais breve possível”. A Sesab disse também que temporariamente, a unidade encontra-se atendendo pacientes de modo referenciado, ou seja, pacientes regulados de unidades de menor complexidade.

Classificação Indicativa: Livre