Economia e Mercado

Após polêmica racial, Nubank contrata ativista baiana do movimento negro

Mari Cobra/Divulgação

Monique Evelle vai coordenar criação de área do banco em Salvador

Publicado em 22/02/2021, às 07h40    Mari Cobra/Divulgação    Painel SA, Folha

O Nubank, que no ano passado se envolveu em uma polêmica racial depois que sua fundadora Cristina Junqueira disse em uma entrevista ao Roda Viva que a empresa não podia "se nivelar por baixo" para buscar diversidade na equipe, anuncia nesta segunda (22) a contratação de Monique Evelle, empresária e ativista do movimento negro, para atuar como consultora da empresa.

Ela vai coordenar a criação de um centro de tecnologia e experiência do cliente em Salvador. Também atuará na área de diversidade do Nubank com startups lideradas por empreendedores negros.

Em outubro de 2020, na esteira da repercussão sobre a fala de Junqueira, Evelle publicou críticas ao Nubank nas redes sociais. A ativista dizia que palestrou em um evento do banco em 2019 para falar justamente sobre a importância do engajamento dos líderes das empresas nas questões raciais, porém a direção não participou do debate.

"Se os CEOs, VPs [vice-presidentes] e demais lideranças da empresa não se interessam pelo assunto, ou colocam outras prioridades para resolver em um momento importante de reflexão e debates sobre pluralidade, não faz sentido nenhum ter comitês de diversidade", escreveu Evelle no Linkedin.

A contratação faz parte do conjunto de ações que o Nubank resolveu adotar para combater o racismo estrutural depois da declaração de Junqueira.

Classificação Indicativa: Livre