Esporte

Burse enaltece atuação de João Gabriel e lamenta empate no Barradão: “A gente fica triste”

Rafael Machado/Galáticos Online

O time comandado por João Burse chegou a criar chances e exigiu boas defesas de Paulo Victor, mas não converteu as finalizações em gols

Publicado em 25/11/2018, às 19h49    Rafael Machado/Galáticos Online    Galáticos Online

O Vitória empatou em 0 a 0 com o Grêmio neste domingo (25) e diminuiu para quase zero a chance de permanecer na Série A do Brasileirão. O time comandado por João Burse chegou a criar chances e exigiu boas defesas de Paulo Victor, mas não converteu as finalizações em gols. Após a partida, Burse lamentou o resultado dentro de casa.

"A gente fica triste por uma situação de não ter conseguido fazer os gols. Tivemos oportunidade, jogamos contra o atual campeão da Libertadores. Eles criaram, mas também tivemos chances de estar fazendo, principalmente ali no finalzinho, com Luan. Jogo difícil, sabíamos da nossa responsabilidade, tínhamos que buscar o resultado a todo momento, nos expor em alguns momentos. Sabemos da qualidade do Grêmio. Mas não faltou entrega, disposição. A torcida nos apoiou até o último minuto. E vale salientar essa entrega dos atletas".

O destaque do Leão foi o goleiro João Gabriel. Com uma atuação impecável o jogador recebeu elogios do treinador e explicou os motivos do arqueiro virar titular somente nos últimos jogos da temporada.

"Um atleta que, desde que chegou, respeitou o momento de quem estava jogando. Um atleta dedicado, comprometido, líder, sempre motivando. Esperou o momento. Quando o momento chegou, está aproveitando, e todo mundo está vendo a qualidade que ele tem. Responsabilidades que a gente divide com todos da comissão técnica, diretoria. Ele estava esperando o momento. Quando apareceu, ele correspondeu. Os atletas vivem disso, das oportunidades. Quando recebem, têm que aproveitar. E ele tem aproveitado".

O comandante também aproveitou a oportunidade para falar sobre sua permanência para 2019. "Não sentamos para conversar. Ainda temos o último jogo. Depois, a gente senta e vê o que a diretoria planeja". Para finalizar, Burse falou sobre o pouco tempo que teve apara ajustar o time e os problemas encontrados.

"Não tive tempo para treinar esse time. Praticamente joguei somente. Sempre com dois dias, um para recuperar e outro para a parte tática sem muito desgaste. Os treinamentos foram em forma de vídeo, palestra, mostrar como a gente queria que o time compactasse. E o treinador precisa de tempo para treinar, ajustar e fazer o time jogar da maneira como ele quer. Difícil com essa sequência grande de jogos, um atrás do outro. Tivemos prolemas de cartões, lesões. Esse da virose, que nos atrapalhou lá, contra o Cruzeiro. Hoje também teve duas substituições por virose. Lucas e Léo, que não estavam aguentando. E a substituição de Benítez por lesão, uma torção no joelho. Situações que a gente tinha planejado em relação a Luan, que ficou muito tempo parado, planejava usá-lo por 45 miunutos mais 15, mas tivemos que deixar até o fim. Substituições pontuais para acelerar o jogo, dar gás, se perderam nessas substituições forçadas".

O time de João Bruse permanece na vice-lanterna do campeonato com 37 pontos e precisa de um milagre para evitar a degola, o que pode ocorrer ainda nesta rodada.  O último jogo do Vitória é contra o campeão Palmeiras, domingo (2), às 16h (horário de Salvador), no Allianz Parque, em São Paulo (SP).

Classificação Indicativa: Livre