Esporte

Anvisa invade campo e interrompe Brasil x Argentina; seleção abandona local

[Anvisa invade campo e interrompe Brasil x Argentina; seleção abandona local]
05 de Setembro de 2021 às 16:24 Por: Reprodução/TV Por: Henrique Brinco

Por descumprimentos de protocolos sanitários por parte de quatro jogadores da Argentina, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) interferiu no clássico contra o Brasil e interrompeu o jogo na tarde deste domingo (5). O time argentino deixou o local e já está no vestiário. Mais cedo, a agência afirmou que os jogadores Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero entraram de forma irregular no país. Integrantes do órgão entraram em campo ao lado de agentes da Polícia Federal.

Leia também: Galvão Bueno esbraveja ao vivo após interrupção de Brasil x Argentina: "Vergonha"

Em virtude das informações de que os quatro jogadores ingressaram descumprindo as regras sanitárias do país, ao supostamente declararem, em formulário oficial da autoridade sanitária brasileira, informações falsas, a Anvisa anunciou em nota que se reuniu com representantes do Ministério da Saúde e com a Coordenação de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo neste sábado (4).

O diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, disse que os jogadores da Argentina descumpriram o "regramento sanitário do país". "Esses quatro jogadores precisam ser deportados do Brasil", disse em entrevista a Galvão Bueno, na TV Globo. Liberar o jogo seria "absurdo", afirmou.

De acordo com o repórter Eric Faria, da TV Globo, Messi e o técnico Lionel Scaloni questionaram aos brasileiros: "Por que não autuaram antes? Por que deixaram entrar em campo?"

Entenda o caso
Após reunião com as autoridades em saúde, confirmou-se, após consulta dos passaportes dos envolvidos, que os atletas descumpriram regra para entrada de viajantes em solo brasileiro, prevista na Portaria Interministerial nº 655, de 2021, a qual prevê que viajantes estrangeiros que tenham passagem, nos últimos 14 dias, pelo Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia, estão impedidos de ingressar no Brasil.

Eles não vão poder disputar partida contra o Brasil pelas Eliminatórias da Copa. "Os jogadores em questão declararam não ter passagem por nenhum dos 4 países com restrições nos últimos 14 dias. Os viajantes chegaram ao Brasil em voo de Caracas/Venezuela com destino a Guarulhos. Porém, notícias não oficiais chegaram à Anvisa dando conta de supostas declarações falsas prestadas por tais viajantes. Ante a notícia, a Anvisa notificou de imediato o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde Nacional (CIEVS/MS), que coordena a rede CIEVS, responsável pela investigação epidemiológica junto ao estado de São Paulo e ao município de Guarulhos, para que o caso fosse investigado e rastreado", declarou a agência.

"Diante da confirmação de que as informações prestadas pelos viajantes eram falsas, a Anvisa esclarece que já comunicou o fato à Polícia Federal, a fim de que as providências no âmbito da autoridade policial sejam adotadas imediatamente. Há notório descumprimento da Portaria Interministerial nº 655/2021 e às normas de controle imigratório brasileiro", ressalta.

A Anvisa finaliza dizendo que "considera a situação risco sanitário grave, e por isso orientou às autoridades em saúde locais a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro, nos termos do art. 11, da Lei Federal nº 6437/77".

Leia também:

Feira de Santana registra 4 casos positivos, menor índice desde pico da pandemia

Presidente da Anvisa tranquiliza sobre lote proibido da Coronavac: "Não é motivo de pânico"

Bahia suspende aplicação de vacinas de três lotes da Coronavac a pedido da Anvisa

Classificação Indicativa: Livre


Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar