Geral

Começa resgate dos mineiros no Chile

Os 33 mineiros estão "soterrados" há mais de dois meses

Publicado em 12/10/2010, às 23h23        Thiego Souza

Começou por volta das 23h15 desta terça-feira o resgate dos mineiros que estão soterrados há dois meses no Chile. A operação de resgate foi testada várias vezes e a expectativa é que o primeiro mineiro esteja em solo por volta da meia-noite.

A estimativa para o término do resgate de todos os mineiros será em 48 horas. O primeiro a ser resgatado será Florencia Avalos, de 31 anos. O mais velho deles tem 63 anos e o mais novo 19.

Todas as atenções estão voltadas para a operação de resgate dos mineiros chilenos presos na mina San José, no Atacama, Chile, desde 5 de agosto. Os 33 homens que estão "soterrados" há mais de dois meses a uma profundidade de quase 700 metros.

Após a conclusão, nas primeiras horas de ontem (11), do revestimento do túnel pelo qual os mineiros estão sendo retirados, possibilitou o início da operação de retirada do mineiros, conforme informaram os responsáveis pela equipe de resgate.

Os mineiros estão sendo retirados por um duto de 622 metros de profundidade por 66 centímetros de diâmetro revestido com tubos metálicos onde foi instalada a cápsula Fênix que transportará cada um deles de uma vez..

Eles estão presos na cápsula por cinto de segurança e serão içados um a um.  O resgate deve demorar dois dias, segundo estima o ministro da Mineração do Chile, Laurence Golborne. Ele explica que a cabine pode chegar à superfície em 12 minutos, mas o tempo estimado para cada resgate é de uma hora.

A cápsula tem luz no teto e quatro tanques de oxigênio foram instalados no chão. Durante a subida, os mineiros irão se comunicar com as equipes de resgate com microfones instalados no capacete.

Eles também precisarão usar óculos escuros, porque estão há muito tempo sem ver a luz do dia. Há risco de embolia pulmonar, náuseas e vômitos. No contato com a superfície, o problema é a claridade. Lá embaixo foi simulado o dia, mas a iluminação não é muita. Em cima é muito mais iluminado.

Uma equipe multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, bombeiros, socorristas, entre outros, acompanha do resgate e dará assistência aos mineiros após a saída.

O sobe-e-desce da cabine de resgate pode ser perigoso. Se as paredes do buraco não estiverem firmes, terra e pedras podem cair em cima de quem está sendo resgatado. Por isso, foi decidido pelo revestimento do túnel na parte de cima, onde está mais instável.

Conforme o ministro da Saúde do Chile, Jaime Mañalich as maiores dificuldades da retirada são a profundidade e a inclinação (de dez graus) que há na subida.

Nas últimas horas antes da retirada os mineiros foram praticaram atividades físicas cardiovasculares e foram submetidos a  uma dieta especial para evitar náuseas durante a subida de quase 700 metros.  .

De acordo com Jean Romagnoli, um dos médicos da equipe de resgate, um sistema de monitoraramento dos sinais vitais dos mineiros durante a subida foi instalado na cápsula, buscando que acompanhar os sinais vitais e para que eles mesmos façam o controle em tempo real de suas condições .

Desde ontem (11) a estrutura de resgate está preparada para a retirada do primeiro mineiro. Dois helicópteros, vagas nos hospitais e 150 pessoas de apoio estão à disposição. (Informações G1, Folhaonline e agências internacionais

Classificação Indicativa: Livre