Geral

Grégorio do Acarajé ainda luta para vender seu quitute

Imagem Grégorio do Acarajé ainda luta para vender seu quitute

Mesmo com liminar em mãos, ele é impedido pelo Shopping Barra de trabalhar

Publicado em 03/10/2011, às 19h42        Patrícia Costa

Mesmo após ser impossibilitado de vender seu acarajé na entrada do Shopping Barra, onde atuou por mais de 20 anos, em função de uma reforma de ampliação iniciada pelo estabelecimento há mais de um ano, Gregório dos Santos Bastos, 50, o "Grégorio do Acarajé", ainda enfrenta dificuldades para desenvolver seu trabalho.

De acordo com Grégorio, o maior problema  era encontrar um outro espaço para continuar vendendo seu tradicional acarajé, mas depois de muita procura um novo local foi resolvido: fica em um módulo policial, coincidentemente, em frente ao antigo lugar, onde já possui uma boa clientela, mas o embate entre Grégorio e o Shopping Barra estava só começando.

Na tarde desta segunda-feira (3), Gregório levou seu tabuleiro para a nova instalação, mas levou um susto ao saber que estava impedido de vender seus quitutes, mesmo estando com uma liminar concedida pela Justiça que lhe garante o direito.

"Antes eles alegavam que eu não estava com a liminar em mãos, agora eu tenho e mesmo assim não querem me deixar trabalhar", disse acrescentando que "se eu vender, eles vão recolher". No entanto, o vendedor diz que não vai sair do local até que alguém responsável pelo shopping resolva sua situação. "Daqui eu não saio", afirma.

A assessoria do shopping informa que o Barra só vai poder resolver a questão de relocamento de Gregório, após a inauguração de sua expansão, prevista para junho de 2012.

Classificação Indicativa: Livre