Geral

Caos toma conta da ilha

Publicado em 24/01/2011, às 08h50   Redação Bocão News


FacebookTwitterWhatsApp

Turistas e 58.347 moradores da Ilha de Itaparica não sofrem só com o problema na travessia para Salvador. Os problemas com a saúde pública são ainda maiores durante o verão, quando o número de pessoas praticamente dobra. Resultado: falta de estrutura e segurança, serviços de saúde precários, lixo pelas ruas e estradas ruins. É o verdadeiro caos sobre as belezas naturais. Em Vera Cruz, a situação não é diferente.
Nas unidades de saúde da família dos distritos de Mocambo, Alto das Pombas, Manguinhos e Amoreiras não têm médicos, enfermeiros, dentistas e material de trabalho. Faltam até soro, gaze e atadura. Segundo moradores, a situação está calamitosa há cerca de dois anos. 
Em Manguinhos, por exemplo, de acordo com pacientes, o atendimento no posto só é feito à sextas-feiras, mas desde o Natal o médico não aparece. Além disso, a estrutura física do local assusta os dependentes do serviço.
No Hospital Geral de Itaparica (HGI), a situação também é precária. A direção da unidade alega que o problema na cidade acaba sobrecarregando o hospital, que tem capacidade para atender apenas 200 pessoas e é administrado por uma empresa terceirizada, a SM (Servindo Melhor).
Como se não bastasse isso, o índice de homicídios cresceu em Vera Cruz e Itaparica, onde a Secretaria de Segurança Pública registrou sete assassinatos ano passado, crescimento de 171% em relação a 2009. Devido às más condições das estradas, como sinalização apagada, falta de iluminação e acostamento, o número de acidentes de trânsito também foi considerado alto. De dezembro até o último dia 21 foram contabilizados 22, com uma morte.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp