Geral

Kakay entra com tese para anular operação Lava-Jato

Famoso por defender casos polêmicos, advogado tenta livrar o doleiro envolvido em corrupção na Petrobras

Publicado em 23/09/2014, às 06h43    reprodução    Redação Bocão News (twitter: @bocaonews)

Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, entrou com uma tese de suspeição do juiz federal Sergio Moro. Kakay é advogado do doleiro Alberto Youssef, um dos acusados de lavagem de dinheiro no esquema de corrupção na Petrobras. O objetivo da tentativa é anular a operação Lava-Jato da Polícia Federal, que desde merço investiga os crimes financeiros na estatal. 
A operação Lava Jato desmontou um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que, segundo as autoridades policiais, movimentou cerca de R$ 10 bilhões. De acordo com a PF, as investigações identificaram um grupo brasileiro especializado no mercado clandestino de câmbio. 
Os suspeitos, informou a polícia, eram responsáveis pela movimentação financeira e pela lavagem de ativos de diversas pessoas físicas e jurídicas envolvidas em diferentes crimes. Entre os delitos cometidos pelos supostos "clientes" do esquema estão tráfico internacional de drogas, corrupção de agentes públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração, contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos.

Publicada no dia 22 de setembro de 2014, às 15h09

Classificação Indicativa: Livre