Geral

Ex-jogador Bahia é acusado de dever mais de um ano de pensão; mulher mostra conversas

Arquivo pessoal

De acordo com a ex-mulher do jogador, o juiz determinou 5 salários mínimos por mês de pensão

Publicado em 08/05/2022, às 15h40    Arquivo pessoal    Juliana Barbosa

Alexia de Paula, ex-mulher do jogador Helder de Paula, que atuou em grandes times como Bahia, Coritiba e Palmeiras, acusa o pai de Heloisa de 7 anos e Heitor de 4 anos, de não pagar pensão alimentícia. Segunda ela, o valor de cinco salários mínimos por mês foi determinado em juízo e nunca foram cumpridos. São 16 meses em atraso. A dívida soma R$ 90mil.

Desde que se divorciou de Hélder, Alexia conta que o ex nunca procurou os filhos. Em entrevista exclusiva ao Bnews, ela desabafa:

"Há quase dois anos Hélder não vem cumprindo com a responsabilidade de pai, já entrei com processo, houve pedido de prisão, penhora de bens, tudo aquilo referente ao não pagamento de pensão. Eu acho que ele está morando no Piauí, não temos notícias...”

Arquivo pessoal
Imagem enviada a equipe Bnews por Alexia de Paula

Neste dia das mães, Alexia compartilha prints relacionados a saúde da filha e faz um apelo ao ex.

“Gostaria de pedir a ele com o coração de uma mãe que chora todos os dias por ver meus filhos sofrendo com o descaso dele e ausência, mais amor com os nossos filhos que amam tanto ele. Minha dor hoje é pelo descaso com os filhos, ter que brigar pra meus filhos ter o que comer, ter onde estudar, ter uma vida digna, é angustiante pra uma mãe. ”

ap
ap
Caption

Print de conversa entre Heloísa e o pai:

ap

ap

Essa não é a primeira vez que Hélder se envolve em polêmicas. Em março de 2021, Alexia afirmou ter vivido um relacionamento abusivo com o ex, ter sido vítima de agressãofísica, psicológica e de ameaças constantes. Na época, Alexia teve uma discussão com Helder via WhatsApp, após ter se recusado a aceitar uma ligação de vídeo dele. Nos prints divulgados por ela, o jogador faz ameaças de morte.

Alexia conta que o ex vazou fotos íntimas dela. Ao Bnews, a designer de sobrancelhas enviou o boletim de ocorrência:

ap


“Eu deveria te matar na porrada, vagaba. Você é put*, vagaba. Eu deveria te quebrar e te matar na porrada. Você fala que coitado de quem se envolve comigo. Coitado ao máximo de quem tiver alguma coisa com você. Eu tenho dó dessa pessoa. Se eu pudesse o alertar, eu faria com todo prazer do mundo pra ele ou eles não entrarem nessa. Você é put*, tem que ser tratada como put*, como vagaba”, escreveu Helder para a ex.

Arquivo pessoal
Prints enviados por Alexia mostram danos supostamente causados por Hélder
ap
Prints enviados por Alexia mostram marcas supostamente causadas por Hélder

"Conheci Helder em 2013 através de uma amiga em comum, alguns meses após conhecer ele, a gente acabou ficando e engravidei da nossa primeira filha.  Fui morar com ele e quando tava com 4 meses de grávida ele me propôs aborto, foi quando eu me afastei dele por medo, entrei na justiça ainda grávida pelos direitos da minha filha, mas acabamos voltando após o nascimento dela e fomos morar em Curitiba onde passamos 2 anos. Após isso ele me pedia muito o segundo filho, foi quando começamos a planejar a gravidez, em 2016 engravidei do nosso segundo filho, mas sempre foi uma relação muito conturbada fiz de tudo pra ter minha família e viver em paz, mas não foi possível. Em 2017 oficializamos o casamento e a partir daí só piorou o comportamento dele, se tornou cada vez mais violento, se achava meu dono, não deixava eu trabalhar, tentava me afastar da minha família, me agredia fisicamente e verbalmente, era uma tortura mental , falava que eu nunca ia conseguir ninguém pois tinha já dois filhos, entre outras coisas terríveis", desabafou Alexia. 

ap
Helder e Alexia de Paula

O Bnews entrou em contato com Helder mas não obteve resposta até o fechamento da matéria. 

Leia Também: Cantor baiano é acusado de não pagar pensão da filha de 15 anos; jovem já tentou suicídio por sofrer abandono afetivo

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre