Geral

Pela quinta noite consecutiva, pilotos de aeronaves relatam OVNIs; veja vídeo

Reprodução
De acordo com os depoimentos, as luzes acendiam, apagavam e se moviam rapidamente, mas não impediram o tráfego das aeronaves  |   Bnews - Divulgação Reprodução

Publicado em 09/11/2022, às 08h52   Redação


FacebookTwitterWhatsApp

Pilotos de avião comunicaram à Central de Controle do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), terem visto "luzes não identificadas no céu" pela quinta noite consecutiva, nesta terça-feira (7).

Relatos parecidos de objetos voadores não identificados (OVNIs) foram registrados nas noites de sexta-feira (4), domingo (6), sábado (5) e segunda (7). De acordo com os depoimentos, as luzes acendiam, apagavam e se moviam rapidamente, mas não impediram o tráfego das aeronaves.

"São seis luzes, entre 10 e 11 horas, em um movimento de órbita. Nós estamos avistando desde o horizonte", comunica um dos pilotos por volta das 23h30 desta segunda. O relato foi feito tanto pela equipe do voo 4248, que viajava do Rio de Janeiro para Porto Alegre, e do voo 3140, que decolou de São Paulo com destino à capital gaúcha.

A Fraport Brasil, administradora do Aeroporto Salgado Filho, informou ao G1 que não registrou nada a respeito. As companhias aéreas também não notificaram a Fraport sobre as luzes.

Já a Força Aérea Brasileira (FAB) disse que "o controle do espaço aéreo ocorreu dentro da normalidade, não havendo registro de ocorrência aeronáutica no Estado do Rio Grande do Sul". "Nenhum objeto desconhecido foi identificado pelos radares de defesa aérea", destaca.

Os vídeso que circulam nas redes sociais não mostram OVNIs, mas somente registro de câmeras dos aeroportos.

O que podem ser as luzes?
Carlos Jung, responsável pelo Observatório Espacial Heller & Jung, localizado em Taquara, sugere que o fenômeno seja causado pela luz. Ele também é coordenador do curso de Engenharia de Produção das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat) e diretor da Região Sul da Brazilian Meteor Observation Network (Bramon).

"Atribuo à reflexão difusa de luz entre nuvens em direção a Porto Alegre, que pode ser gerada por holofote de luz ou até algum objeto. Não é incomum", disse para reportagem.

Segundo o especialista, ele conta que a luz, a partir de algum equipamento, como um holofote, por exemplo, pode "rebater" nas nuvens. O que se vê no céu – o acender, apagar e o movimento das luzes – seria isso.

Para o ufólogo Edison Boaventura Júnior, as luzes podem indicar a presença de fenômenos não identificados. "Recebi informações que em Minas Gerais tem alguns casos e em algumas cidades do interior de São Paulo. No Sul, a partir de outubro, houve alguns relatos de pessoas que viram [ovnis] em solo e agora estes pilotos que observaram estes objetos", comenta o ufólogo.

Ele diz que contabilizou 115 ocorrências de avistamento em todo o país, entre abril e outubro deste ano.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp