Política

Ilhéus: preso na Operação Xavier, secretário municipal chamava propina de “sarapatel”

[Ilhéus: preso na Operação Xavier, secretário municipal chamava propina de “sarapatel”]
16 de Maio de 2019 às 08:17 Por: Reprodução Por: Adelia Felix0comentários

Os investigadores da Operação Xavier, deflagrada pelo Ministério Público da Bahia, nesta quarta-feira (15), em Ilhéus, no sul da Bahia, flagraram conversas telefônicas entre o ex-vereador e atual secretário da Agricultura e Pesca do Município Valmir Freitas e assessores do vereador Lukas Paiva (PSB). As informações, obtidas pelo BNews, estão em Procedimento Investigatório Criminal encaminhado pelo promotor de Justiça Frank Monteiro Ferrari à 1ª Vara Criminal da Comarca de Ilhéus.

Na conversa, ocorrida na manhã do dia 17 de agosto do ano passado, Valmir fala ao celular com Rodrigo dos Santos, assessor de Lukas, sobre o pagamento de uma suposta propina.

[Foto: À direita o secretário muncipal Valmir Freitas, e à esquerda, o vereador Lukas Paiva.]

Na oportunidade, Valmir questiona se os dois vão almoçar “sarapatel”. Rodrigo estranha a definição, Valmir brinca e diz que ele não entende “de diagrama”. Após compreender o suposto interesse de Valmir, Rodrigo afirma que o “sarapatel servido será o de melhor tipo, o de carneiro”.

No documento, o promotor explica que “o 'restaurante' era a Câmara de Vereadores de Ilhéus e o 'carneiro' – a 'refeição mais gostosa' - era o mais alto contrato dentre aqueles alvos dos esquemas de propina envolvendo as empresas de assessoria”.

Ao BNews, Ferrari afirmou que o diálogo é bastante significativo e foi usado no pedido de prisão. “Eles fazem esse tipo de chacota com o dinheiro público”.

 


 
A operação
Quatro pessoas foram presas durante a ação ocorrida nos municípios de Ilhéus, Itabuna e Coaraci, pelo Ministério Público estadual, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco) e da 8ª Promotoria de Justiça de Ilhéus, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).
 
Foram presos o secretário de Agricultura e Pesca do Município Valmir Freitas do Nascimento, e dois empresários, Cleomir Primo Santana e Aêdo Laranjeiras de Santana. Dois ex-presidentes da Câmara, os vereadores Tarcísio Paixão e Lukas Paiva, são procurados. Além deles, também são considerados foragidos um servidor da Casa e um empresário, cujos nomes não foram revelados. Foram afastados um vereador e sete servidores da Câmara. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de Ilhéus.
 
Segundo a investigação, os donos das empresas que prestavam serviços terceirizados de organização das licitações e de contabilidade à Câmara Municipal de Ilhéus eram responsáveis pelas fraudes em licitações que geraram contratações direcionadas de outras empresas pré-selecionadas. Os valores dos contratos, por sua vez, eram superfaturados e uma parte deles era destinada como propina a vereadores que ocuparam a presidência do parlamento municipal no período investigado. Estão foragidos dois vereadores, ambos ex-presidentes da Câmara Municipal de Ilhéus, e dois servidores da Casa Legislativa. 
 
A Operação também cumpriu dez mandados de busca e apreensão. Foram apreendidos documentos e aparelhos eletrônicos. Conforme as investigações, o esquema fraudulento foi operado entre os anos de 2001 e 2018, praticando crimes contra a administração pública, fraudes em licitações e contratos e lavagem de dinheiro.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas