Justiça

Medida do CNJ “desmoraliza” Judiciário baiano, avalia presidente do Sinpojud

[ Medida do CNJ “desmoraliza” Judiciário baiano, avalia presidente do Sinpojud]
07 de Maio de 2015 às 11:52 Por: Rodrigo Daniel Silva (@rodansilva)
A presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário da Bahia (Sinpojud), Maria José Silva disse, nesta quinta-feira (7), que a medida do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que desloca funcionários de segunda instância do Tribunal de Justiça para atuar na primeira, “desmoraliza” o Judiciário baiano, que não tem tomado providências para solucionar o problema da falta de servidores.
 
O CNJ, órgão responsável pela fiscalização da atividade dos tribunais, determinou, na última terça-feira (5), que cinco servidores de cada gabinete de desembargador e 20% dos funcionários da secretaria do tribunal, vice-presidência e corregedoria geral sejam transferidos temporariamente para a primeira instância.
 
 “A gente está passando um sufoco com a falta de sete mil servidores. O Tribunal não tem tomado providência em relação a isso, sempre, fala que não tem dinheiro.”, afirmou a presidente do Sinpojud, em entrevista ao Bocão News. Maria José reclamou ainda da dificuldade de negociar com o atual presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Eserval Rocha. “Ele não recebe entidade nenhuma, nem a AMAB, nem a OAB...”, destacou.
  
Ainda de acordo com a presidente do Sinpojud, a segunda instância do Tribunal também sofre com a falta de servidores. “Só os gabinetes dos desembargadores estão completos. Agora, a gente chega lá e não tem ninguém. Dizem que estão trabalhando em casa”, frisou, salientando que esses funcionários ganham cerca de R$ 12 mil por mês.
 
Leia mais:
 
 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar