Mundo

Brasileiro reage a ataque na Irlanda com golpe e evita tragédia: "Eu agi por instinto"

Twitter/Reprodução)
O ato do brasileiro repercutiu no país e até o lutador Conor McGregor ressaltou a bravura dele em enfrentar o esfaqueador  |   Bnews - Divulgação Twitter/Reprodução)

Publicado em 24/11/2023, às 17h57 - Atualizado às 18h59   Cadastrado por Mariana De Siervi


FacebookTwitterWhatsApp

Um entregador carioca que mora na Irlanda reagiu a um ataque a facadas que ocorreu próximo a uma escola em Dublin, deixando feridos, incluindo três crianças, nesta quinta-feira (23). Caio Benício, de 43 anos, impediu que a tragédia fosse ainda mais grave.

Em entrevista para o G1 na manhã desta sexta-feira (24), Caio explicou que trabalha como entregador no país e não hesitou em agir assim que presenciou a situação. O ataque à escola gerou uma série de protestos em Dublin, resultando em 34 pessoas detidas durante manifestações violentas contra imigrantes. O agressor, que foi derrubado pelo brasileiro, seria estrangeiro. Durante os protestos, um ônibus e um carro da polícia foram incendiados.

“Eu trabalho de delivery aqui, eu estava passando em frente a uma escola quando eu vi uma briga na calçada. Eu achei, a princípio, que fosse uma briga normal com um homem e uma mulher. Depois eu fiquei sabendo que ela era professora da escola. Eles estavam brigando e puxando uma garotinha”, contou o brasileiro.

Embora o governo do país não considere o ataque à escola como um ato de terrorismo, as investigações ainda estão em andamento para determinar as motivações do crime. Ao todo, cinco pessoas ficaram feridas, incluindo três crianças.

Caio viu a cena na Parnell Square, uma praça movimentada de uma área residencial no centro da capital irlandesa e percebeu que não era uma briga comum.

“Aí eu diminuí para ver o que estava acontecendo quando o cara conseguiu agarrar a garotinha e puxou uma faca. Eu parei a moto e o vi esfaqueando a menininha no peito. Eu não tive tempo de pensar. Fui para cima, tirei o capacete, até para me proteger, e acertei com o capacete na cabeça e ele caiu”, disse o motoboy.

Ele ainda relatou que não para de pensar em uma das crianças feridas, que no momento está internada.

“Achei que fosse só a garota, mas depois eu vi que ele tinha esfaqueado duas crianças dentro da escola e a professora. Mas acho que a menina está em estado mais grave”.

1 ANO FORA DO BRASIL

Há um ano, o carioca decidiu se mudar para a Irlanda em busca de melhores condições de vida para sua família. Com dois filhos, ele era proprietário de um restaurante em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, que foi destruído por um incêndio há três anos. Infelizmente, o seguro não cobriu todos os prejuízos, o que o levou a buscar outras formas de sustentar sua família.

“Na hora você não tem muito tempo para pensar. As pessoas perguntam e dizem que é ato de bravura, de coragem. Mas quando você vê um homem com uma faca e uma garotinha muito pequena, você não tem tempo para pensar. Age por instinto. Eu agi por instinto. Joguei a moto no chão e fui para cima”, disse.

Após presenciar o próximo ataque à escola, Caio apareceu no local até a chegada da polícia, prestando seu depoimento e colaborando com as autoridades. Ele compartilha que, ao tomar conhecimento da situação, pensou imediatamente em seus próprios filhos e se colocou no lugar dos pais que correram até a escola para buscar as crianças.

O ato do brasileiro repercutiu no país e até o lutador Conor McGregor ressaltou a bravura dele em enfrentar o esfaqueador: “O trabalhador é o verdadeiro herói! Bravo nosso irmão brasileiro na Irlanda, trabalhando duro, ganhando a vida e contribuindo com a sociedade irlandesa! É isso! Nós amamos, apreciamos e respeitamos muito você! Muito obrigado Caio Benício!”, disse o lutador. 

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp

Tags