Colunas / Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Univitelinos e seus tentáculos

Imagem Na Sombra do Poder: Univitelinos e seus tentáculos

O que movimentou os bastidores da política baiana esta semana

Publicado em 03/03/2022, às 05h50        Redação

Univitelinos e seus tentáculos
Gêmeos famosos na terra do axé decidiram expandir seus tentáculos fora muros da capital baiana. Dessa vez os “mininos” aterrissaram na terra do Cristo Redentor, onde já iniciaram suas peripécias, arriscando-se pelas praias fluminenses entre vacinas e medicamentos de alta complexidade. Fontes da NSP já afirmam que logo logo eles podem voltar aos noticiários locais. Resta a dúvida se pelas colunas sociais ou pelas crônicas da justiça!
Estilo
Há quem diga que, apesar de um texto bonito e um gracejo de Adélia Pinheiro no Instagram, o real motivo da saída de Tereza Paim da SESAB versa para o novo ritmo da gestão. Já começa o falatório no meio político da relação da secretária com os seus lá dentro. O papo é com superintendente pra cima…
Calculadora na mão
Está a aberta oficialmente a partir de hoje a temporada da calculadora na mão. Antes de mudar de sigla, como permite a janela partidária do TSE até 1º de abril, deputados, pré-candidatos e afins fazem contas mirabolantes e projeções que chegam a ser absurdas sobre a média de votos que sonham ter em outubro. 
Estelionato
Quem participa as tratativas garante que tem muito peixe pequeno querendo se vender a preço de tubarão para abocanhar alguma coisa do fundo eleitoral. Os pescadores profissionais estão de olho!
Procurando a saída de emergência
A notícia da semana foi, sem dúvida, o recuo do senador Jaques Wagner na disputa pelo governo da Bahia. A decisão foi tão severa que até agora os petistas estão atordoados procurando uma saída de emergência. 
Procurando a saída de emergência
Questão existencial
Os vermelhos estão desesperados por uma candidatura própria, mas esbarra num problema existencial: não tem nome! O cenário que se avizinha é um apoio de joelhos a Otto Alencar, único nome viável do grupo. Aliado há 15 anos, Otto é visto sob desconfiança pelos petistas mais xiitas e não encontra reciprocidade ao apoio que já ofereceu.
#TBT do abandono
Pelo Twitter o jornalista Rodrigo Daniel Silva lembrou bem as voltas que o mundo dá na política, ao resgatar uma publicação de Jaques Wagner em novembro do ano passado, em resposta a ACM Neto: "E que vou até o fim, não desempolgo no meio do caminho nem deixo amigos na estrada". Apois, deixou!
Cada um por si
Fato é que os governistas estão em cólicas. A desistência de Wagner e o voo solo de Rui Costa deixaram um cenário de terra arrasada e um vazio de liderança. Um observador do jogo lembrou que esse vazio não é de agora. Em 2020, a falta de coordenação nas candidaturas da base à prefeitura de Salvador gerou um clima de cada um por si e Deus por todos. 
Cada um por sí
Síntese, da oposição
Pra quem não consegue acompanhar em tempo real as agruras do PT na definição da chapa majoritária da Bahia, o deputado federal Arthur Maia fez a síntese...óbvio que com a perspicácia de opositor que o é, mas não deixou de dizer verdades.

Prefeito lá e low
Na dúvida sobre qual caminho seguir, o prefeito de Wenceslau Guimarães, Kaká, resolveu aderir ao manjado lá e low! Vai com Neto pra governo e Rui para o Senado. 
Prefeito de lá e low
Contagem regressiva
Falta pouco menos de um mês para Rui Costa sair do governo do Estado e João Leão virar governador da Bahia.
Prazo
Se até segunda-feira (7) a chapa governista estiver pacificada, bem possível que anúncio oficial seja na terça-feira (8) com a presença de Lula (PT). O xis da questão agora é só a vice.
Caetano mirando 2024
Colocado na Serin pelas mãos de Wagner, Luiz Caetano segue a cartilha Rui Costa. Enquanto evita se indispor com o chefe, trabalha na candidatura da sua esposa Ivoneide Caetano para deputada federal mirando a prefeitura de Camaçari em 2024. 
Chapa sem bico 
Do outro lado do balcão, ACM Neto assiste calado ao perrengue dos adversários, até porque ele também enfrenta questões a definir na sua chapa. Uma delas é com o PSDB, que apesar do esperneio, não deve colocar o bico na majoritária. A perspectiva para isso é que os tucanos não têm para onde ir: “vão apoiar Roma, Otto...”, questiona um interlocutor. Mas a pergunta que fica é: a legenda vai atravessar as eleições de asas encolhidas na Bahia?
Chapa sem bico
Waldeck em cena
O ex-senador Waldeck Ornellas é um dos cabeças brancas que pilotam a pré-campanha de ACM Neto ao governo da Bahia, ao lado de Paulo Souto, Luiz Carreira, Zé Ronaldo e outros seniors. A brincadeira da turma é que as idades reunidas somam centenários de sabedoria que o jovem gestor acessa todos os dias na Garibaldi. E por lá, Waldeck tem cadeira de ouro.
Pão com pão
João Roma, por sua vez, tenta a viabilidade de uma chapa que até então tem potencial de um sanduíche pão com pão. Se realmente desembarcar no PL, como se desenha, ele poderá ter a médica Raíssa Soares como candidata ao Senado. Junto com Bolsonaro formariam a trinca de liberais. O problema é encontrar outras siglas para encorpar o grupo da majoritária.
pão com pão
Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre