Polícia

Após morte de PM, população reclama de insegurança na passarela da Unijorge

Quem passou pela local nesta manhã ainda se deparou com a poça de sangue do crime

Publicado em 22/09/2015, às 10h40    Bocão News    Brenda Ferreira

Após a morte do Policial Militar, Arivaldo das Neves, na noite desta segunda-feira (21), na passarela da faculdade Unijorge, localizada na Avenida Paralela, populares se sentem ameaçados e inseguros com a violência na cidade. Na manhã desta terça-feira (22), alunos e trabalhadores tiveram que se submeter a passar pela poça de sangue que restou da cena do crime.
A redação do Bocao News conversou com alguns pedestres que se depararam com forte imagem ao chegar a faculdade. "Quando eu passei aqui hoje por volta das 7 horas da manhã fiquei apreensiva e me perguntando: até onde vai a violência em Salvador?  Não é possível que não exista controle desse tipo de situação", contou Alice Santiago, estudante da Unijorge.
Trabalhadores que também passam pelo local todas as manhãs estão indignados. "Quando eu soube do caso, fiquei muito triste. Em um ano passando por aqui todos os dias nunca vi algo desse tipo. É segurança zero para a gente, né? Principalmente porque muitos alunos precisam passar pela passarela durante a noite depois da aula", disse um trabalhador de 26 anos.

Classificação Indicativa: 18 anos