Polícia

Coronel nega toque de recolher em Portão

Imagem Coronel nega toque de recolher em Portão

“A população pode ficar tranquila”, disse o comandante da região

Publicado em 14/10/2011, às 13h03        Alessandro Isabel

“Não existe toque de recolher”, foi o que disse o coronel Everaldo Mendes, Comandante da Região Metropolitana de Salvador (RMS), da Polícia Militar, em entrevista exclusiva a reportagem do Bocão News.

A afirmativa veio na manhã desta sexta-feira (14) em resposta as informações de que o bairro de Portão, em Lauro de Freitas, estaria sendo alvo de atentados e ações de bandidos. “Estamos realizando um trabalho ostensivo na região em função da chacina que ocorreu no último final de semana, e posso garantir que não houve toque de recolher”.

Segundo o Cel. Mendes a prisão na tarde de quinta-feira (13) do traficante Adalberto Almeida, que é suspeita de fazer parte da quadrilha da traficante conhecido como “Babão” – acusado de comandar o tráfico em Itinga -, é a resposta que a polícia tem dado para a criminalidade. “A prisão de Adalberto foi um baque para a bandidagem da região. E iremos continuar com as operações, que tem surgido efeito”.

Sobre a chacina que vitimou quatro pessoas e deixou uma ferida no último domingo (8), o coronel disse que já tem os nomes dos suspeitos de participar da ação. “Estamos com a identificação de todos os envolvidos e a prisão dos mesmos será questão de horas. Iremos dar a resposta que a sociedade espera”, disse.

Chacina Portão

Tainara Conceição Santos, 14 anos, Jandira dos Santos, 43, Natan Lima da Silva, 20, e Abraão Felipe Ramos Marques, 15 anos, foram atingidos pelos disparos e morreram  na localidade do Pé Preto, no bairro de Portão. A mãe de Tainara, a auxiliar de serviços gerais Odevânia Conceição, 34 anos, foi alvejada na perna esquerda, mas foi socorrida para o Hospital Menandro de Farias e liberada.

Testemunhas contaram que homens armados chegaram e atiraram em direção às pessoas que estavam na praça. Tainara morreu com vários tiros na cabeça. Jandira foi atingida com um tiro na axila, um na coxa e outro nas costas e morreu no local. Natam foi executado com mais de 30 disparos, e o corpo de Abraão só  foi encontrado na manhã de quarta-feira (12) no quintal de uma casa que fica atrás da praça onde a chacina ocorreu.  De acordo com a polícia, nenhuma das vítimas tinha passagem. A 34ª Delegacia investiga o crime.

Foto: Gilberto Júnior

Classificação Indicativa: Livre