Polícia

Acusados de filmar Kelly Cyclone morta são demitidos

Kelly foi executada dia 18 de julho ao sair de um show de pagode

Publicado em 19/10/2011, às 12h40        Redação Bocão News

A sindicância realizada por determinação da Corregedoria do Departamento de Polícia Técnica (DPT) para identificar quem gravou e postou na internet o vídeo com imagens do corpo de Kelly Cyclone, após a autópsia realizada no IML culminou com a demissão de dois funcionários do órgão e numa maior rigidez nas normas que funcionários devem seguir.
A  informação é da  família de Kelly, que recebeu o resultado da sindicância através da Polícia Civil. A investigação concluiu que os servidores Roberto Carlos Vieira Oliveira e João Batista Alves Neto foram considerados responsáveis pela gravação do vídeo, que foi divulgado na internet no dia 27 de julho.
O resultado orientou que os dois, que eram funcionários pelo Regime Especial de Direito Administrativo (Reda), fossem demitidos. Antes da conclusão da sindicância eles tinham sido afastados. A investigação não identificou o responsável por colocar o vídeo na internet, que mostra o corpo de Kelly nu, dentro do DPT.

Kelly, que ganhou fama por namorar traficantes, foi morta dia 18 de julho  ao sair de um show de pagode. A 22ª Delegacia, em Lauro de Freitas, ainda não concluiu o inquérito sobre o crime.

Classificação Indicativa: Livre