Polícia

Acusado de quebrar braço de estudante nega

"Deve ter quebrado o braço no chão", afirmou

Publicado em 24/10/2011, às 08h08        Redação Bocão News

Rômulo do Nascimento, 28 anos, é suspeito de agredir, na madrugada de 30 de setembro, a estudante de direito Rhanna Diógenes, 19 anos. Ela  teve os dois ossos do antebraço partidos ao meio em uma boate em Natal (RN), depois de resistir às investidas do rapaz. As imagens foram registradas pela câmera de segurança da boate e acabaram na internet.




Em entrevista à reportagem do "Fantástico", Rômulo diz que tudo não passou de um acidente. "Deve ter quebrado o braço no chão", afirmou, em entrevista concedida no escritório de seu advogado, sob a condição de que não houvesse gravação de imagem. O caso está na Delegacia da Mulher, que espera ouvir Rômulo até o fim do mês.
Aparentando estar bastante nervoso, Rômulo deu sua versão dos fatos e diz que não quer aparecer porque se sente ameaçado, afirma que nunca andou armado e que não se considera violento. "Ela veio se direcionando para mim, segurou. Eu tentei retirar o braço dela, por que? Ela jogou a bebida na minha cara, segurando a minha gola. Em seguida eu achei que ela iria jogar o copo em mim. Numa ação instintiva, automaticamente eu retirei o braço dela. Ela provavelmente deve ter ido a escorregar pelo fato da bebida ter caído no chão, obviamente. Deve ter quebrado o braço no chão", diz Rômulo do Nascimento, ao ser questionado sobre o que aconteceu aquela noite.
Rômulo já responde na Justiça a uma ação criminal por violência doméstica movida pela ex-companheira, com quem tem um filho.
Ossos quebrados

Rhanna precisou passar por cirurgia para a implantação de duas placas de titânio no braço.
O ortopedista Adriano Melo Correia, que operou Rhanna, questiona a explicação do rapaz. "Pode. A princípio sim. Mas pelo traço de fratura, pelo tipo da imagem da fratura a gente supõe. Está relatado na literatura, esse tipo de fratura acontece com o trauma indireto", avalia.

Classificação Indicativa: Livre