Polícia

Homens invadem casa, rendem adolescentes e crianças e tomam banho antes sair

Imagem Homens invadem casa, rendem adolescentes e crianças e tomam banho antes sair

As vítimas foram amarradas com arame e ficaram presas na despensa por quatro horas

Publicado em 15/01/2013, às 08h45        Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

A audácia de certos criminosos não tem mesmo limites. Na manhã de segunda-feira (14), três homens armados invadiram uma casa na Rua Jardim Paraíso, em Patamares e renderam duas adolescentes e três crianças reféns. A casa, onde residem quatro pessoas, não tinha nenhum adulto no momento do crime.

Segundo uma das vítimas de 15 anos, que preferiu não se identificar, os criminosos entraram na residência por volta das 8h30 e levaram as jovens e as crianças para a despensa, onde foram amarradas com um fio de arame. Eles ficaram no local por aproximadamente quatro horas. Reviraram móveis, procuraram jóias, armas, tomaram banho e trocaram de roupa.

Os bandidos insistiam em procurar armamentos porque acreditavam se tratar da casa de um policial. Eles roubaram equipamentos eletrônicos portáteis, além de alimentos, bebidas, bilhetes de ônibus e uma quantia insignificante em dinheiro “Eles ainda perguntaram se aqueles bilhetes davam pra pegar ônibus até o Subúrbio”, contou a adolescente, que afirma ter recebido coronhada na cabeça.

O ferimento foi leve e ninguém mais se feriu. A proprietária da casa, mãe da adolescente e de uma das crianças, chegou ao local após ser avisada do crime por um primo, com quem as jovens entraram em contato após a fuga dos bandidos. “Conseguimos nos desamarrar com umas ferramentas. Chamamos a polícia e ligamos pra os nossos parentes”, contou a vítima.

Preocupada e ainda abalada com o crime, a dona da casa disse se sentir “impotente, desprotegida e sem suporte”. Ela contou que essa foi a segunda vez que a casa, localizada numa rua com segurança particular, foi invadida. “E isso também já aconteceu com outros vizinhos”, revelou.

A família registrou boletim de ocorrência na tarde de ontem na 9º Delegacia (Boca do Rio), onde o caso é investigado. As vítimas também requisitaram retratos falados, já que nenhum escondeu o rosto durante a ação.

Classificação Indicativa: Livre