Polícia

Suposto membro do ETA é preso no Rio de Janeiro

Daniel Ramalho

González trabalhava como professor de espanhol

Publicado em 18/01/2013, às 16h13    Daniel Ramalho    Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)


Um suposto membro do grupo separatista basco ETA, Joseba Gotzon Vizán González, de 53 anos, foi preso na manhã desta sexta-feira (18) no Rio de Janeiro. O rapaz vivia no Brasil há 17 anos e, portando documentos falsos, obteve a residência fixa junto às autoridades brasileiras. González trabalhava como professor de espanhol em uma escola particular, além de prestar serviços em trabalhos de tradução.
A prisão foi um trabalho conjunto da Polícia Federal e autoridades de segurança da Espanha. Joseba não ofereceu resistência e estava acompanhado da mulher. O casal tem um filho, também espanhol, que morava com eles.
"Ele foi surpreendido. Uma pessoa que estava há tanto tempo vivendo em outro país, jamais imaginava que seria preso, ainda mais perto do seu crime prescrever", explicou o superintendente regional da Polícia Federal do Rio, Valmir Lemos de Oliveira em entrevista ao portal Terra. O suposto terrorista é procurado na Espanha por ter sido o executor de um atentado com carro-bomba, que deixou dois policiais mortos, em 1988. 
González teria ainda tentado, no mesmo ano, assassinar outros dois agentes, sem sucesso. Na lista de procurados da Interpol, sua classificação era vermelha, ou seja, "criminoso extremamente perigoso".
De acordo com o portal Terra, González será encaminhado ainda na tarde desta sexta-feira (18) para o sistema prisional de Bangu, no subúrbio carioca. Na Justiça brasileira, ele responderá pelo crime de falsidade de documento (pena de 1 a 5 anos de detenção). "As autoridades espanholas devem adotar as medidas legais para a extradição o quanto antes", completou Oliveira.

Foto: Daniel Ramalho // Portal Terra

Classificação Indicativa: Livre