Polícia

Identificada uma das vítimas do falso médico da Chapada Diamantina

Jornal da Chapada

Irmão de vítima acusa falso médico de ser o responsável pela morte

Publicado em 03/06/2013, às 21h51    Jornal da Chapada    Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)


Falso médico atuava na Chapada Diamantina

É do município de Andaraí a primeira suposta vítima do falso médico Pedro Henrique Marques de Almeida, que atuava em vários municípios da Chapada Diamantina desde 2012 e foi preso em flagrante clinicando no Hospital Municipal de Boa Vista do Tupim, no último dia 5 de maio.

De acordo com o Jornal da Chapada, ao atestado de óbito de Júlio Cesar Batista do Nascimento consta que o paciente morreu de parada cardíaca no dia 28 de março, no Hospital Municipal de Andaraí, onde o estelionatário trabalhava, segundo informa o coordenador da 12ª Coordenadoria de Polícia do Interior da Bahia (Corpin de Itaberaba), delegado João Uzzum.


Atestado de óbito da vítima

Pedro Henrique foi preso em ação conjunta da prefeitura com o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) e agentes da Delegacia de Polícia Regional (Depol) de Itaberaba, liderados pelo delegado João Uzzum. Assim que tomou conhecimento da prisão em flagrante do falso médico, João Batista do Nascimento, irmão de Júlio, procurou a Delegacia de Itaberaba e prestou queixa, acusando Pedro Henrique de ser o responsável pela morte.

“O que apuramos até o presente momento dá conta de que a vítima sofria de cirrose hepática, e como já tem um bom tempo que o cadáver foi enterrado, solicitamos a exumação, para que o médico legista possa afirmar a causa morte, ou seja, se decorreu do agravamento da doença hepática ou se foi de erro do falso médico. Mas só podemos emitir juízo de valor após o laudo técnico”, ressalta Uzzum ao Jornal da Chapada.

Apesar do flagrante em exercício ilegal da medicina, o falso médico Pedro Henrique Marques de Almeida saiu da prisão em apenas três dias. “Não há nenhuma ilegalidade na soltura do falso médico, aconteceu porque a legislação brasileira permite a concessão de liberdade provisória nestes casos, mas ele continua respondendo o processo em liberdade, estando sujeito, se condenado ao final, a alguma pena”, informa o chefe da Polícia Civil na Chapada Diamantina.

O delegado João Uzzum, em entrevista ao Jornal da Chapada, concluiu dizendo que o inquérito policial já está em fase de conclusão, faltando apenas alguns laudos, que serão remetidos à justiça com as devidas considerações na medida em que forem chegando.


Descoberta do falsário 

A farsa do médico foi descoberta pela atual gestão do município de Boa Vista do Tupim que, em avaliação do desempenho funcional dos médicos, percebeu a distorção de comportamento quanto aos procedimentos de um deles, contratado no ano de 2012. Após a avaliação técnica, segundo o secretário municipal de Saúde, foi feita uma consulta ao Cremeb, que confirmou a existência de número de registro coincidente com o nome do profissional, contudo, o mesmo era residente e atuava na capital do estado e não no interior. A Procuradoria Jurídica do município solicitou uma averiguação detalhada do Conselho, enviando toda documentação para análise e confirmação. De posse dos documentos, o Cremeb constatou que o suposto médico havia falsificado os documentos, se passando por outra pessoa.

Classificação Indicativa: Livre