Polícia

Oficiais se reúnem e comandante geral da PM sinaliza “adequação” de horas extras

Imagem Oficiais se reúnem e comandante geral da PM sinaliza “adequação” de horas extras

Coronel Castro descartou o corte do direito trabalhista e disse que o momento é de incremento

Publicado em 06/06/2013, às 11h27        Tony Silva (Twitter: @Tony_SilvaBnews)

Oficias da Polícia Militar da Bahia se reuniram, na tarde desta quarta-feira (5), no Quartel do Comando Geral nos aflitos em Salvador, para discutir uma adequação no pagamento das horas extras. A notícia de que os oficiais estariam insatisfeitos com um suposto corte do benefício chegou à redação do Bocão News na terça-feira (4).

O comandante geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Castro, informou à reportagem do Bocão News que não existiu e nem existe a possibilidade de corte das horas extras dos coronéis, majores, capitães, tenentes e todos da alta patente da PM e que a reunião que aconteceu hoje (5), acontece regularmente entre os oficiais no Quartel dos Aflitos. “Essa reunião é para tratarmos de diversos assuntos e aprimorarmos algumas decisões de ordem administrativa. É descartada a possibilidade de corte nas horas extras de oficiais e dos outros policiais. Muito pelo contrário, esse é um momento de incremento, tendo em vista que estamos no período da Copa das Confederações e próximo da Copa 2014. O que houve foi uma adequação da distribuição das horas extras, uma vez que, houve necessidade de realinhar cargos e atividades de acordo as patentes e atribuições com reflexo neste tipo de benefício”, afirma Castro.

Ainda segundo o comando da PM, a adequação das horas extras aconteceu por conta de um processo comum de ajuste de gestão. “É normal que cada gestão tenha suas adequações para melhorias da máquina pública, neste caso a PM. Precisamos organizar para que os recursos que temos, sejam empregados de forma ainda mais otimizada”, explica o comandante Castro. 

Porém, oficiais qaue entraram em contato com a redação do Bocão News e preferiram não se identificar, apontaram a reunião como algo que "traria condições que podem prejudicar a categoria". "
A PM vai fazer uma reunião no auditório do QCG com tenente, coronéis e majores onde vão expor que foram cortadas as horas extras por parte da área sistêmica do Governo, e que a partir de amanhã os serviços extras serão gratuitos,  ou seja, os comandantes e outros oficiais que trabalharam à noite e fins de semana, não vão receber a gratificação que hoje é de R$ 785 por serviço extra. A revolta é geral", disse um dos oficiais à reportagem.

A redação também tentou falar com o secretário de Comunicação do Estado da Bahia, Robinson Almeida, que não atendeu as ligações. Durante entrevista concedida ao programa Se Liga Bocão, na Itapoan FM, na noite de ontem, quando questionado sobre o assunto, Robinson disse desconhecer o não pagamento das horas extras, sem entrar em detalhes sobre alterações ou não na folha de pagamento da PM.

Foto: Divulgação
Publicada dia 5 de maio às 22h12

Classificação Indicativa: Livre