Polícia

Presa em Salvador por tráfico internacional de drogas foi ameaçada de morte por ex-jogador do Bahia

Reprodução / Instagram
Ex-jogador do Bahia foi casado e tem uma filha com a suspeita presa pela Polícia Federal, em Salvador  |   Bnews - Divulgação Reprodução / Instagram
Tiago Di Araújo

por Tiago Di Araújo

[email protected]

Publicado em 27/07/2023, às 07h45 - Atualizado às 09h09


FacebookTwitterWhatsApp

Uma operação da Polícia Federal, realizada nesta quarta-feira (26), em Salvador, resultou na prisão de uma mulher suspeita de tráfico internacional de drogas. Conforme a PF, a ação Doze Malas aponta que a viagem de um grupo preso com drogas no Aeroporto de Fortaleza, em abril, teria sido organizada pela mulher, residente em Salvador, no bairro da Vila Ruy Barbosa, na Cidade Baixa.

A mulher em questão foi identificada como Alexia de Paula, de 27 anos, que é ex-mulher de um ex-jogador do Esporte Clube Bahia. Atualmente, ela é apontada pela polícia como esposa de um traficante internacional de drogas, que também estaria envolvido no crime.

Há dois anos, Alexia também se envolveu em um caso com com a Justiça, mas sendo vítima. Ela denunciou o atleta Helder de Paula, seu ex-marido, de ameaça de morte. Na época, a jovem relatou ter vivido um relacionamento abusivo, sendo vítima também de agressão física e psicológica do jogador, que não cumpria com as obrigações de pai. Eles têm dois filhos juntos.

Helder ficou bastante conhecido pela torcida do Bahia, clube onde mais atuou na carreira, entre 2010 e 2014. Além do Tricolor, o volante, hoje com 39 anos, tem passagens por outros times como CRB, Ceará, Ituano, Coritiba, Paraná, Figueirense e Guarani.

helder e alexia

O relacionamento entre Alexia e Helder chegou ao fim em 2020, quando se mudaram para terra natal do ex-jogador, o Piauí, depois de terem vivido em Salvador. “A gente terminou uma vez em 2018, ficamos separados três meses e depois voltamos. Ficamos juntos até 2020. Já estávamos em Salvador de novo, saímos para o Piauí. Levei tudo meu. Só que eu já estava cansada, então na primeira briga que teve eu saí de lá", disse ela em entrevista ao site iG, em 2021.

Na mesma época, ela voltou a relatar ameaças do ex, que aconteceu em uma troca de mensagens via WhatsApp. “Eu deveria te matar na porrada, vagaba. Você é put*, vagaba. Eu deveria te quebrar e te matar na porrada. Você fala que coitado de quem se envolve comigo. Coitado ao máximo de quem tiver alguma coisa com você. Eu tenho dó dessa pessoa. Se eu pudesse o alertar, eu faria com todo prazer do mundo pra ele ou eles não entrarem nessa. Você é put*, tem que ser tratada como put*, como vagaba”, escreveu Helder, que não se pronunciou ao ser procurado.

Prisão em Salvador

Alexia era considerada foragida da Justiça Federal do Ceará e também responde por organização criminosa. A prisão foi realizada por equipes da Polícia Federal com apoio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO/MP-BA) e do Batalhão de Choque, da Polícia Militar da Bahia (PM-BA /CHOQUE).

Conforme divulgado pela Polícia Federal, a mulher foi conduzida à sede da Superintendência Regional da Polícia Federal na Bahia, localizada em Água de Meninos, na capital baiana, para fins de interrogatório e formalização dos procedimentos cabíveis, ficando à disposição da Justiça Federal.

pf

Operação Doze Malas
A prisão foi fruto da Operação Doze Malas, deflagrada pela Polícia Federal para continuidade da investigação acerca da prisão de oito passageiros por tráfico internacional de drogas no Aeroporto de Fortaleza, em abril.

O grupo tentou embarcar para Lisboa, em Portugal, com malas similares contendo 23kg de cocaína ocultada nas oito malas. A viagem teria sido organizada pela mulher residente em Salvador, que foi responsável, segundo investigações, por cooptar os presos em flagrante, adquirir as passagens e estadia no país europeu.

De acordo com a PF, também há indícios de atuação da suspeita em outra atuação da organização criminosa voltada ao tráfico internacional de drogas flagrado naquele mesmo dia 30/04, tendo sido presos em flagrante 4 brasileiros em Lisboa, por transportarem cocaína de Recife/PE para Lisboa - Portugal em 4 malas com quantitativos similares às apreendidas em Fortaleza/CE.

A investigada pode responder pelo cometimento, em tese, dos crimes de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico de drogas, com penas somadas de até 35 anos de prisão, sem prejuízo da descoberta de outros crimes mais graves praticados, a partir da análise do material digital apreendido. As investigações continuam, com análise do material apreendido.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp