Política

“Você vai viver única e exclusivamente para trabalhar”, alerta Silvio Humberto sobre possível ampliação da idade mínima para aposentadoria

Márcia Guimarães

Publicado em 28/11/2018, às 19h20    Márcia Guimarães    Márcia Guimarães

Uma nova Câmara de Deputados está chegando e o perfil mais conservador tem chamado a atenção da sociedade. Um dos temas polêmicos e que podem mudar o futuro dos brasileiros é o aumento da idade mínima para a aposentadoria -  65 anos (homem) ou 60 anos (mulher), desde que contribua pelo menos por 15 anos. Para o vereador Silvio Humberto (PSB), é preciso entender o contexto para definir os caminhos da reforma da Previdência.

“Eu acho que precisa abrir a caixa da Previdência, para podermos entender o porquê do déficit. Eu acho que o Congresso está se tentando uma solução mais fácil, que é ampliar a idade mínima para 65 anos. Isso vai ser o mesmo para trabalhador rural? E quando você começa a trabalhar com 12 anos? Você vai viver única e exclusivamente para trabalhar? Então, esse não é o caminho”, questionou Humberto. Para ele, é necessária uma discussão mais ampla para entender quais são as causas reais do déficit público na Previdência. 

Ele destacou que “uma coisa é alguém que vem de classe média e que tem um tipo de serviço” e outra é o trabalhador começar sua vida ativa, de fato, a partir de 14 anos em condições insalubres. O vereador também citou o recorte dessa mudança para as mulheres e a desigualdade de gênero: “Quem é trabalhadora doméstica vai trabalhar até os 60 anos? É muito difícil, então não dá pra fazer um raciocínio simples. A origem social conta e conta muito. Precisa-se rediscutir as razões da nossa Previdência, as benesses que foram dadas, as superaposentadorias, etc.”. 

Humberto lembrou que o Congresso que está chegando é bastante conservador e “não leva em consideração essas demandas sociais”, prejudicando o lado do trabalhador. Na avaliação dele, o Congresso quase que revogou a CLT e impulsionou os processos de terceirização e de precarização do trabalho. 

“Agora, parece que a cereja do bolo vai ser colocar uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria. Isto vai fazer com que se passe a vida toda trabalhando e não considera que, à medida em que a população vai envelhecendo, é evidente que tem a janela demográfica. Quando vai aumentando a expectativa de vida, isso impacta, mas a reforma não deve ser feita dessa forma, pelo caminho mais fácil e favorecendo a previdência privada. Não há favores desinteressados”, acrescentou. 

Classificação Indicativa: Livre