Política

Otto ironiza situação de Bolsonaro: “Eu recomendo a Mourão que ele comece o aquecimento”

Geraldo Magela/Agência Senado

O baiano ainda opinou que o governo gesta ˜crises atrás da outra criadas de propósito”

Publicado em 19/03/2020, às 19h43    Geraldo Magela/Agência Senado    Victor Pinto

O senador Otto Alencar (PSD) foi irônico ao comentar a situação política do presidente Jair Bolsonaro diante da pressão que tem sofrido de ex-aliados, de setores da opinião pública e do próprio Congresso Nacional. De acordo com o politico, em conversa com o BNews, a crise do Coronavírus agravou a situação e mostrou a dificuldade do ex-deputado de gerir o País. Destacou que, apesar quieto, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) tem demonstrado mais preparo e está mais “centrado”. 

“Eu já acho bom Mourão ir se alongando, fazendo o aquecimento, acho que é muito possível que em breve ele precise entrar em ação”, afirmou nesta quinta-feira (19).

“Eu digo mais: se continuar do jeito que tá, se Bolsonaro for ameaçado de cair, acho que nem as Forças Armadas, que ele se vale de aproximação, vai salvar ele˜, completou. 

O baiano ainda opinou que o governo gesta ˜crises atrás da outra criadas de propósito” e todo o País pode perceber que o presidente “não saiu do palanque eleitoral” e só faz ˜palhaçadas”.

ISOLAMENTO - Otto Alencar está em isolamento em Salvador e defende que o Senado Federal admita a possibilidade de realizar as sessões remotamente para os senadores poderem deliberar matérias importantes para o País diante dos protocolos de prevenção e propagação do coronavírus. O senador não teve contato externo com seus pares e nem apresentou sintomas. Segue a quarentena por resguardo.  

Duas funcionárias do gabinete do político, em Brasília, estão com suspeitas de coronavírus e estão internadas em unidades de saúde da capital Federal. O cacique do PSD baiano, que desde a morte do seu irmão Cícero Alencar está na Bahia, e não teve contato com a equipe

Classificação Indicativa: Livre