Política

“Ser um exército de um homem só não é fácil”, diz Alden após acusar colegas de oposição

[“Ser um exército de um homem só não é fácil”, diz Alden após acusar colegas de oposição]
27 de Abril de 2021 às 19:26 Por: Reprodução/Twitter Por: Redação Bnews

O deputado estadual da Bahia Capitão Alden (PSL) disse nesta terça-feira (27) que o único equívoco nas acusações feitas a colegas parlamentares opositores foi ter afirmado que eles receberam dinheiro da Prefeitura de Salvador ao invés do Governo do Estado. 

“Ele estava se referindo às emendas impositivas que os deputados têm direito de indicar para viabilizar ações do mandato e para prefeituras da capital e das outras 416 cidades da Bahia”, afirmou, em nota, a assessoria do deputado. 

Em vídeo, Alden acusa deputados da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) de receberem R$ 1,6 milhão do Executivo Municipal da capital baiana, comandado por Bruno Reis (DEM).

O comunicado diz ainda que Alden não tem “essas vantagens que os demais têm” por ser um parlamentar que faz oposição ao Governo do Estado e afirma que no vídeo não há intenção de sugerir “qualquer interpretação de propina ou situação do gênero”. 

“Não houve em nenhum momento a intenção de denunciar qualquer situação. Até porque quando existe esta intenção o parlamentar aciona os órgãos oficiais competentes, a exemplo, do escândalo dos respiradores que nunca chegaram.”

Alden ainda declarou ser preterido e alvo de injustiças por não apoiar a gestão de Rui Costa (PT). “Ser um exército de um homem só não é fácil, mas se não tenho o apoio de meus pares, o povo será meu apoio necessário”, disse.

Confira a nota na íntegra:

O deputado estadual Capitão Alden, uma das principais vozes conservadoras na Bahia, vem a público para ressaltar sua surpresa em ser alvo de uma representação no Conselho de Ética da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). O parlamentar destaca que na publicação que havia feito em redes sociais sobre verbas a deputados opositores a ele, sua explicação foi equivocada apenas no momento que o usou o termo “prefeitura”. As palavras que deveriam ter sido utilizadas seriam “Governo do Estado”, pois ele estava se referindo às emendas impositivas que os deputados têm direito de indicar para viabilizar ações do mandato e para as prefeituras da capital e das outras 416 cidades da Bahia. 

Por ser um deputado da oposição ao Governo do Estado, o Capitão Alden não tem essas vantagens que os demais têm. Assim como não existem recursos federais por não ter um representante de deputado federal em sincronia com a Bahia. Ou seja, no vídeo gravado não houve a intenção de sugerir qualquer interpretação de propina ou qualquer situação do gênero. 

Não houve em nenhum momento a intenção de denunciar qualquer situação. Até porque quando existe esta intenção o parlamentar aciona os órgãos oficiais competentes, a exemplo, do escândalo dos respiradores que nunca chegaram. 

O deputado estadual Capitão Alden esclarece que o ocorrido só reforça que ele continua sendo uma “voz solitária no deserto”, pois os deputados não demonstraram o devido empenho em analisar e votar suas mais de 370 proposições (projetos de lei, projetos de indicação, requerimentos entre outros). Mas, para politizar uma situação pontual, os deputados demonstram uma energia exagerada. 

O parlamentar deixa claro que mais uma vez é injustiçado, mal interpretado e colocado como alvo de uma situação inusitada, justamente por ser um político crítico, não fechar os olhos para atos do Governo do Estado e não se intimidar a pressões das mais diversas. “Ser um exército de um homem só não é fácil, mas se não tenho o apoio de meus pares, o povo será meu apoio necessario”, pontua Alden.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar