Política

Governistas da CPI da Covid querem confrontar Mandetta com dossiê sobre contratos e compras

Marcello Casal JrAgência Brasil

vários dossiês sobre contratos foram enviados a senadores da CPI por funcionários do ministério

Publicado em 04/05/2021, às 09h13    Marcello Casal JrAgência Brasil    Redação Bnews

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta será confrontado na CPI da Covid-19 sobre contratos de compras fechadas durante o período em que integrou o governo Jair Bolsonaro (sem partido). De acordo com a coluna da Malu Gaspar, do Globo, essa será a principal arma de congressistas para tentar blindar a imagem do chefe do Executivo que será investigado por omissão durante a crise sanitária. 

A coluna afirma que vários dossiês contendo informações sobre os contratos fechados pelo médico foram enviados nas últimas semanas a senadores da CPI por funcionários do ministério, empresários que tiveram interesses contrariados e adversários políticos do ex-ministro.

No material há documentos sugerindo direcionamento em favor de fornecedores na compra de equipamentos de proteção individual (EPI) e na contratação de duas empresas, uma delas especializada em telemedicina, para o TeleSUS.

Publicamente, Mandetta disse que Bolsonaro sabia de todos os riscos da pandemia, mas que optou por não tomar decisões para tentar minimizar os impactos dela. Agora, os senadores querem mostrar que o ex-ministro também tem culpa no cartório para minar com qualquer possibilidade dele nas eleições de 2022. 

Segundo a Veja, auxiliares do presidente Bolsonaro sempre suspeitaram dos dois aliados do médico, os ex-deputados Abelardo Lupion e José Carlos Aleluia. Eles querem construir provas por meio de quebra de sigilos fiscais, bancários e telefônicos. “Que a CPI sirva para preparar o país para enfrentamentos futuros”, disse Mandetta, nega-se a comentar as ofensivas.

Classificação Indicativa: Livre