Política

Durante entrevista, ACM Neto se irrita com pergunta sobre vinculo do DEM com governo Bolsonaro

BNews/Arquivo

Presidente da legenda e ex-prefeito de Salvador falou à Rádio Interativa FM na última sexta-feira (17) 

Publicado em 21/09/2021, às 12h36    BNews/Arquivo    Redação BNews

O ex-prefeito de Salvador, e na disputa pelo governo do Estado em 2022, ACM Neto (DEM) se irritou com algumas perguntas feitas durante entrevista à Rádio Interativa FM, na última sexta-feira (17). 

O primeiro, ao ser  questionado sobre o DEM ser base de apoio do governo Jair Bolsonaro (DEM), o presidente nacional da legenda negou e disse que não poupa críticas "quando elas são necessárias".

"Quando vejo uma coisa errada, falo e falo mesmo. Nossa prioridade absoluta, enquanto partido, é apresentar um candidato à presidência. Sequer o apoio a Bolsonaro é discutido no Democratas”, disse. 

“Esse tipo de colocação é uma leitura equivocada", continuou. Atualmente a Secretaria Geral da Presidência e o Ministério da Agricultura são ocupados por quadros do DEM - os  ministros Onyx Lorenzoni e Tereza Cristina, respectivamente. 

O ex-ministro da Saúde no início do governo Bolsonaro, e primeiro do País durante a pandemia da Covid-19, Luiz Henrique Mandetta, também é um democrata. 

Na pergunta seguinte, quando indagado sobre sua relação com o ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), Neto disse que não poderia falar sobre o ex-aliado. Ele também avaliou que esta contradizia a anterior.

"Você diz que o Democratas é base de Bolsonaro. Agora diz que João Roma é base de Bolsonaro. Essa pergunta é fruto de uma leitura inadequada de um projeto político. O que a gente projeta para frente é a confiança na nossa relação com o povo", afirmou.

Por fim, Neto foi perguntado se existia um racha no Democratas de Itabuna, com a saída de recentes figuras políticas. O ex-prefeito avaliou que a pergunta era baseada em uma "leitura equivocada" e "preconceituosa" do DEM.

Roma foi eleito deputado federal na base do democrata, e foi chefe de gabinete de Neto. No início do ano, logo após a nomeação de Roma, o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia, na época ainda no DEM, sugeriu que Neto havia tido interferência na nomeação de seu ex-chefe de gabinete. 

Em nota, na época, Neto lamentou a aceitação por Roma do cargo de ministro e se disse surpreso. Após a derrota de Baleia Rossi (MDB) para  Arthur Lira na eleição para presidente da Câmara, Maia chegou a acusar o presidente do DEM  de ter entregado o partido "numa bandeja" ao Palácio do Planalto.

Na mesma ocasião, o senador democrata Rodrigo Pacheco também havia sido eleito para presidência do Congresso Nacional com o apoio de Bolsonaro. 

Notícias Relacionadas

ACM Neto atua para impedir candidatura de João Roma ao governo da Bahia, diz jornal

Eduardo Bolsonaro diz que "portas estão fechadas" para ACM Neto

Fusão entre DEM e PSL deve ocorrer em outubro; líderes planejam novo estatuto

Classificação Indicativa: Livre