Política

Royalties: Lídice da Mata classifica sessão como "decepção"

Imagem Royalties: Lídice da Mata classifica sessão como "decepção"

Líderes decidiram adiar para o ano que vem a votação dos 3.060 vetos presidenciais

Publicado em 20/12/2012, às 13h07        Adelia Felix (Twitter: @adelia_felix)

Os presidentes do Senado, José Sarney (PMDB), da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e líderes partidários decidiram adiar a votação dos 3.060 vetos presidenciais prevista para a última quarta-feira (19).  Ficou para o ano que vem o fim da briga entre estados produtores e não produtores de petróleo sobre os vetos da presidente Dilma à lei dos royalties. Por causa dessa disputa, o Congresso não deve votar mais nada, este ano.  Parlamentares dos estados produtores não abriram mão de discutir em plenário cada um dos 3 mil vetos. Indignada, a senadora Lídice da Mata (PSB), desabafou. “Decepção c o imbróglio q impede a votação do veto dos royalties”, escreveu a militante em seu perfil no Twitter.



O senador Cristovam Buarque (PDT), em seu discurso, também criticou a tentativa de analisar os vetos.  “Estamos tão pressionados pelas medidas provisórias e decisões judiciais que estávamos ficando irrelevantes. Agora, nós estamos ficando ridículos”. Ele a condução dada à questão dos royalties do petróleo. Para o pedetista, os senadores precisariam de 100 dias com 10 horas de trabalho, com uma média de 20 minutos em cada ponto.

Mais cedo, na quarta-feira, o presidente do PMDB na Bahia, Lúcio Vieira Lima, crítico ferrenho do PT, convocou os adversários políticos a votarem pela derrubada do veto a divisão dos
royalties. "Estamos mobilizando os colegas Deputados para estarem presentes na votação do veto à divisão dos Royalties. Espero que o PT da Bahia reveja sua posição e vote pela derrubada do veto - o que trará mais recursos para Bahia", publicou o deputado federal no perfil dele no Facebook.

Nota originalmente postada às 8h do dia 20

Classificação Indicativa: Livre