Política

Lídice defende candidato do PDT e manda recado para o PMDB

Imagem Lídice defende candidato do PDT e manda recado para o PMDB

Senadora afirma: nós somos parte do processo, não entramos com o projeto em curso

Publicado em 01/02/2013, às 15h17        Luiz Fernando Lima (twitter: @limaluizf)

O primeiro discurso na sessão que precede a eleição do presidente do Senado foi feito por Lídice da Mata, do PSB baiano. Em um discurso enérgico que remontou o cenário anterior aos governos petistas, a senadora criticou a forma de condução do PMDB ao escolher Renan Calheiros como candidato da base de sustentação do governo Dilma Rousseff.

A socialista falou por quase dez minutos e o conteúdo foi cheio de mensagens diretas e indiretas. Em dado momento deixou claro que os avanços democráticos obrigam aos políticos a dar respostas à sociedade. Neste sentido é preciso, segundo ela, que o candidato ao comando da Casa Alta apresente propostas para o ano de 3013.

Em outro momento, a ex-prefeita de Salvador mandou recado aos “adesistas”. De acordo com ela, o PSB não é um partido que entrou no projeto com ele em movimento. Os socialistas ajudaram a construir o mesmo projeto e, portanto, se sentem parte do todo que vem transformando a sociedade brasileira e pavimentando o caminho para o desenvolvimento.

A bancada do PDT e PSB inscreveu 20 senadores para falar em plenário, cinco minutos cada. “Candidatos à Pres.Senado terão 20 minutos para defender suas propostas”, escreveu a senado no Twitter.

Os socialistas, como amplamente divulgado, apóiam a candidatura de Pedro Taques (PDT), do Mato Grosso."Sessão tensa , certamente teremos uma derrota eleitoral , porém uma importante resistência política".

A movimentação, no entanto, pode ser visto como a primeira movimentação do PSB no sentido de minar o PMDB. Os dois partidos estão em franca disputa pela vaga de vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff em 2014. Michel Temer, cacique peemedebista, tem a preferência, mas Eduardo Campos, governador de Pernambuco, vem conseguindo ampliar os espaços e vai forçar.

Neste contexto, começa a circular nos bastidores baianos que o estado pode entrar na mesa de negociação, portanto, não seria surpreendente se Lídice aparecesse como componente da chapa majoritária.

Voltando ao Senador, apesar do protesto dos independentes o peemedebista de ser eleito sucessor de José Sarney. Vale lembrar que em 2007, Renan Calheiros, renunciou à presidência da Casa, escapando duas vezes da cassação: a primeira, em setembro, veio com 40 votos favoráveis, 35 contrários e seis abstenções. Renan era acusado de usar recursos de uma construtora para pagar pensão para a filha que teve com uma jornalista. A segunda em dezembro de 2007, acusado de usar laranjas para comprar um grupo de comunicação em Alagoas. No entanto, Renan acabou sendo alvo de outros processos, que foram arquivados.

Postada às 10h17 do dia 01/02.

Confira o vídeo:

Classificação Indicativa: Livre