Política

Diretor do Sindseps acusa prefeito de pagar para abafar protesto na Câmara

Imagem Diretor do Sindseps acusa prefeito de pagar para abafar protesto na Câmara

Segundo Everaldo Braga, servidores municipais foram barrados na entrada do plenário lotado

Publicado em 04/06/2013, às 07h21        Marivaldo Filho (Twitter: @marivaldofilho)

Revoltado por causa da quantidade de servidores municipais que foram barrados na entrada da sessão ordinária desta segunda-feira (3), o diretor do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Salvador (Sindseps), Everaldo Braga, acusou o prefeito ACM Neto e vereadores da bancada do governo de oferecer dinheiro para que pessoas lotem as galerias do Plenário Cosme de Farias e “abafem” a manifestação dos trabalhadores da prefeitura.

Braga, no entanto, não explicou o que levou ele a achar que as pessoas foram pagas pela prefeitura. Com o plenário lotado, por segurança. a Polícia Militar impede a entrada de mais pessoas.

“É só você ver. As pessoas foram pagas e até crianças entraram no bolo. Não tenho como provar, mas sei que eles pagaram para impedir as nossas manifestações. Não vai ter jeito. Vamos fazer barulho e cobrar que nossos direitos sejam atendidos”, afirmou Everaldo Braga.



Os servidores municipais querem participar da votação da reforma tributária, proposta pelo prefeito ACM Neto. O fim da compensação tributária, prevista no projeto do Executivo, trouxe o temor aos trabalhadores de perder o benefício das bolsas de estudo em faculdades.

Postada às 14h27 do dia 03 de maio

Classificação Indicativa: Livre