Política

“Uma vitória da cidade”, avalia Paulo Câmara

Imagem “Uma vitória da cidade”, avalia Paulo Câmara

Presidente não precisou votar, mas depois de 11h de discussões comemorou a aprovação da reforma tributária de Salvador

Publicado em 06/06/2013, às 11h33        Luiz Fernando Lima (Twitter: @limaluizf)

O debate foi exaustivo na Câmara Municipal de Salvador. A sessão na qual foi aprovada a reforma tributária foi iniciada às 15h30 de quarta-feira (5) e terminou por volta das 3h da madrugada desta quinta (6). Após mais de 11 horas de intensas discussões, o presidente da Casa, Paulo Câmara (PSDB) encerrou os trabalhos comemorando “a vitória da cidade”.

Na condição de comandante do Legislativo municipal, o tucano não precisou votar, mas avaliou o processo e os projetos como fundamentais para Salvador recuperar a capacidade de arrecadação e assim “caminhar com as próprias pernas”, além de dar exemplo de independência e respeito entre os poderes.

Sobre a reforma, Câmara destacou os ajustes para ampliar a receita, o perdão das dívidas, o Refis, a manutenção da isenção de impostos para o desenvolvimento da região do Comércio, além das empresas que vão trabalhar as Parcerias Público-Privadas.

Presidindo a CMS desde o início do ano, o tucano ressaltou a transparência no trâmite do projeto. De acordo com ele, foram 84 dias de discussões e quatro audiências públicas realizadas. Foram acatadas 45 emendas de 75 propostas. “Isto demonstra que há independência do Poder e também que a reforma não veio como matéria definitiva. Ela pode ser aperfeiçoada de forma a atender os interesses da cidade a partir das perspectivas dos vereadores eleitos para isso”, afirmou em conversa com a reportagem do Bocão News.

A título de informação, Câmara lembra que as duas últimas reformas aprovadas na “Era João Henrique” foram votadas em 14 e 15 dias, respectivamente. O que ilustra a tratativa do ex-prefeito com o Poder Legislativo instituído, deixando clara a mudança de pensamento entre os gestores.

Matérias relacionadas
Vereadores aprovam reforma tributária proposta por ACM Neto

Reforma Tributária: Léo Prates acredita que atuação de sonegadores vai diminuir

Classificação Indicativa: Livre