Política

Bonfim: Otto critica queda de braço entre oposição e governo

Imagem Bonfim: Otto critica queda de braço entre oposição e governo

“A minha secretaria está parada”

Publicado em 16/01/2014, às 22h16        Redação Bocão News (twitter: bocaonews)

Tradicionalmente conhecida como a festa que consegue atrair e reunir o maior número de políticos na Bahia, a Lavagem do Bonfim ganha ainda mais destaque em 2014, ano de eleição. Autoridades fazem questão de percorrer os 8 quilômetros – entre a Igreja da Conceição da Praia e a Igreja do Bonfim – para demonstrar a fé com o Senhor do Bonfim, padroeiro dos baianos.

Nesta quinta-feira (16), o desfile de siglas e seus representantes foi reforçada e dentre as autoridades, o vice-governador e secretário de Infraestrutura, Otto Alencar (PSD). Pré-candidato ao Senado, Otto disse para o editor do Bocão News, Luiz Fernando Lima, que não se aproveita da festa religiosa para conseguir angariar votos.

“Eu acho que nenhum grupo político da Bahia vem para aqui atrás de ter popularidade. Você não conquista popularidade, explorando a religião, explorando o futebol, explorando a sua profissão ou apelando. O povo da Bahia não gosta de quem apela para ter popularidade fora daquilo que você executa, do que você faz”.

Sobre o imbróglio que envolve a votação do orçamento de 2014, que vem sendo obstruída pelos deputados oposicionistas na Assembleia Legislativa, ele acredita que o entendimento está próximo e nos próximos dias os parlamentares irão chegar a um consenso, algo que vai destravar o cofre do governo.

“Atrapalha muito as execuções das obras por parte do estado. Já aconteceu (obstrução) em outras épocas também, e deu problema. Eu creio que na próxima semana vai ser resolvida. O parlamento não é um octógono para se disputar uma luta, uma briga sem entendimento. A oposição na Bahia tem responsabilidade e acho que ele vai ter entendimento”, disse Otto que segue preocupado com a não liberação dos recursos do governo. “A minha secretaria está parada. Vou terminar o mês de janeiro sem fazer um investimento, sem aplicar nenhum recurso, e sem obras”. 


*Matéria originalmente publicada às 8h16 desta quinta-feira (16)

Foto: Gilberto Júnior | Bocão News

Classificação Indicativa: Livre